O drone "Gorlitsa" com o Antonov AN-225 ao fundo (Antonov)

O drone “Gorlitsa” com o gigante Antonov AN-225 ao fundo (Antonov)

Acostumada a projetar e construir aviões gigantes, a Antonov desta vez apostou em algo pequeno. A fabricante apresentou nesta semana em sua sede em Kiev, na Ucrânia, o “Gorlitsa”, um veículo aéreo não tripulado projetado para uso militar e com apenas 200 kg. Como comparação, o AN-225, o maior avião do mundo e projetado pela empresa ucraniana, é 3.200 vezes mais pesado que o novo drone.

Como explicou a fabricante, que desenvolve o projeto em parceria com o governo da Ucrânia, a aeronave não tripulada é concebida principalmente para realizar missões de reconhecimento usando equipamentos para “marcar” alvos e coordenar ataques a distância por outros meios. Como missão secundária, o drone ainda tem capacidade para levar suas próprias armas, como mísseis de ataque ao solo.



Segundo Oleksandr Turchynov, secretário do Conselho Nacional de Defesa e Segurança da Ucrânia, em declaração durante o evento de estreia do novo aparelho, o projeto foi impulsionado após “agressão da Rússia”, se referindo a Crise da Crimeia de 2014, quando a Rússia anexou parte do território ucraniano.

O drone da Antonov tem apenas 4,4 metros de comprimento (Antonov)

O drone da Antonov tem apenas 4,4 metros de comprimento (Antonov)

“Não havia veículos aéreos não tripulados na frente de combate naquele tempo (durante a crise em 2014). Agora temos um grande número de aeronaves táticas desse tipo sendo produzidas por empresas ucranianas. Nós temos até uma competição entre as fabricante de veículo aéreos não tripulados na Ucrânia”, enfatizou Turchynov.

O modelo desenvolvido pela Antonov tem 4,4 metros de comprimento por 6,7 m de envergadura. A fabricante ainda não divulgou informações sobre a motorização do drone, que usa a configuração de motor “pusher”, com a hélice posicionada na parte traseira da aeronave.

Ainda de acordo com a empresa ucraniana, o Gorlitsa voa a velocidade de cruzeiro de 180 km/h e pode acelerar até a velocidade máxima de 230 km/h e alcançar até 5.000 metros de altitude. A autonomia de voo da aeronave é de 7 horas, ou algo em torno de 1.050 km, aponta a Antonov.

O Gorlitsa é projetado para permanecer voando por até 7 horas (Antonov)

O Gorlitsa é projetado para permanecer voando por até 7 horas (Antonov)

“Assim que concluir os níveis operacionais e táticos (com o novo drone), o próximo passo será a crição de uma aeronave não tripulada de nível estratégico”, completou o secretário de defesa da Ucrânia, em relação em levar a indústria do país a avançar para projetos de aeronaves não tripuladas mais avançadas e capazes de realizar um maior número de missões. A Antonov ainda não definiu um prazo para a estreia operacional de sua nova criação.

Nota do editor: Gorlitsa é o nome russo-ucraniano para a variação local do pequeno pássaro conhecido no Brasil como “Rolinha”.

Veja mais: Antonov AN-225, o rei dos ares