A-29 Super Tucano da Força Aérea Brasileira

Os aviões de ataque Super Tucano também atua como interceptador de aviões de baixo desempenho (FAB)

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, na noite desta quarta-feira (15), um avião ingressando no espaço aéreo do Brasil com uma carga de meia tonelada de pasta base de cocaína. A aeronave de matrícula PT-JLE, um bimotor Beechcraft Baron, foi detectada por radares e acompanhada por uma aeronave E-99 e dois A-29 Super Tucano até o pouso no município de Rio Verde (GO).

A FAB explicou que o avião foi classificado como “tráfego aéreo desconhecido” por voar em baixa altitude e não ter apresentado um plano de voo. Após ser detectada pela cobertura de radares, a aeronave irregular foi acompanhada pelo avião-radar E-99 da FAB e, em seguida, por dois caças A-29 Super Tucano acionados pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE).


Após pousar na cidade de Quirinópolis (GO), o bimotor retomou voo, sendo novamente interceptado pela aeronave A-29. A partir deste momento, foi dada continuidade às medidas de policiamento do espaço aéreo. O avião interceptado foi acompanhado até o pouso no município de Rio Verde, distante cerca de 220 km da capital goiana.

Para realizar a interceptação, a FAB informou que os Super Tucanos utilizaram tecnologias de visibilidade noturna: o sistema eletro-óptico infravermelho FLIR (em inglês, Forward Looking Infra-Red); e os óculos de visão noturna NVG (sigla de Night Vision Goggles).

A ação faz parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a FAB, a Polícia Federal e órgãos de segurança pública.