O Bell V-280 "Valor" deve voar pela primeira vez em 2017, segundo a programação do fabricante (Ilustração - Bell Helicopters)

O Bell V-280 “Valor” deve voar pela primeira vez em 2017, segundo a programação do fabricante (Ilustração – Bell Helicopters)

Dono da maior frota de helicópteros militares do mundo, os Estados Unidos iniciou nesta década o processo de renovação dessas aeronaves, que deve ser concluído até 2030. O mais avançado desses novos aparelhos é o Bell V-280 Valor, cujo primeiro protótipo começou a ser construído e deve voar em 2017, ainda em fase de demonstração.

O projeto foi iniciado em 2013 pela fabricante Bell Helicopters, que propôs uma aeronave de asas rotativas com rotores móveis, característica que permite ao aparelho decolar e pousar na vertical, como um helicóptero comum, e atingir altas velocidades quando as hélices são posicionadas na vertical, voando como se fosse um avião.



Segundo a Bell, esse formato permitirá ao V-280 ser o helicóptero mais rápido do mundo, capaz de atingir até 560 km/h. Os modelos mais rápidos da atualidade, como o AH-64 Apache do Exército dos EUA, alcançam no máximo 350 km/h.

Ainda de acordo com o fabricante, o futuro helicóptero poderá realizar viagens de até 3.900 km com 14 soldados a bordo. Além disso, o V-280 terá a capacidade de transportar cargas de até 4.500 kg penduradas por um gancho na parte inferior da fuselagem, como peças de artilharia, mantimentos ou até pequenos veículos.

Experiência com rotores móveis

Os Estados Unidos é o único país que detém o conhecimento sobre a construção de helicópteros com rotores móveis. O primeiro deles foi o V-22 Osprey, que foi desenvolvido pela Bell em parceria com a Boeing. Capaz de levar grande capacidade de carga em alta velocidade, o aparelho é utilizado atualmente pela Marinha dos EUA (US Navy).

O V-22 Osprey está em serviço com a Marinha dos EUA desde 2007 (Foto - US Navy)

O V-22 Osprey está em serviço com a Marinha dos EUA desde 2007 (Foto – US Navy)

O V-22 entrou em operação nos EUA em 2007, após mais de 20 anos de desenvolvimento e testes. A aeronave, que pode transportar mais de 20 soldados armados ou quase 10 toneladas de carga, opera a partir de navios e porta-aviões.