O AR40 participa da concorrência FARA do Exército dos EUA (Karem)

A Karem Aircraft é uma empresa que pode ser considerada pouco conhecida na indústria aeroespacial, mas sua história merece atenção. Fundada em 2004 por Abraham Karem e com sede na Califórnia, a companhia é uma das cinco concorrentes do programa FARA (Future Attack Reconnaissance Aircraft) do Exército dos EUA que visa escolher um novo helicóptero de ataque e escolta. A disputa ocorrerá nos próximos anos e envolve três empresas tradicionais, a Boeing, Bell e Sikorsky, além da AVX, a primeira a revelar sua proposta.

Mas afinal o que faz a Karem capaz de concorrer com fabricantes tão tradicionais? Um dos motivos se chama “Predator”. O famoso veículo aéreo não-tripulado de uso militar fez parte de várias missões dos EUA e é projeto de Karem, um judeu nascido em Bagdá, no Iraque, e hoje com 82 anos.


Vivendo em Israel a partir dos anos 50, Karem se especializou em tecnologia de drones, e teve um dos primeiros projetos usado pela Força Aérea de Israel na guerra do Yom Kippur, na década de 70. Logo em seguida, Karem emigrou para os EUA onde criou outras aeronaves não tripuladas incluindo o MQ-1 Predator pela empresa General Atomics.

Por essas razões, o engenheiro é considerado uma espécie de “pai dos aviões não-tripulados”. Desde então, a Karem tem feito parcerias com gigantes como Boeing e Lockheed Martin, a DARPA (agência de projetos avançados do governo americano) e até mesmo a UberAir.

O drone MQ-1 Predator, criação de Abraham Karem (USAF)

Foi nesse estágio que Karem mudou seu foco de aviões não tripulados para aeronaves de rotores basculantes, também chamados de tilt-rotor como o V-22 Osprey. Ao imaginar uma tecnologia capaz de atingir velocidades altas, a empresa propôs um imenso tilt-rotor para o Exército dos EUA e também com uma versão civil batizada de “Aerotrain” (Aerotrem em português, mas não confundir com a proposta de trem do eterno presidenciável brasileiro Levy Fidelix).

Conceito curioso

Agora, no entanto, a Karem revelou um concorrente diferente para o programa FARA. Batizado de AR40, o helicóptero avançado une alguns conceitos interessantes como o rotor rígido em que o movimento das pás é independente, com um rotor pivotante na cauda responsável pela propulsão longitudinal – e semelhante ao rival Raider X.

Segundo explicou a Karem, o AR40 utiliza o rotor de cauda como antitorque em velocidades mais baixas enquanto o rotaciona para a posição longitudinal em voos de cruzeiro. O torque do rotor principal, nesse caso, é anulado por um estabilizador vertical.

O imenso tilt-rotor avançado de Karem participou de outro estudo do Exército dos EUA (Karem)

O AR40 possui um rotor principal de apenas 11 metros de diâmetro e asas móveis com envergadura de 12,2 metros. Propulsionada por um motor GE Aviation T901, a aeronave tem dois assentos lado a lado além de uma cabine traseira para quatro ocupantes.

A Karem fechou uma parceria com Northrop Grumman e a Raytheon, empresas com maior experiência em fornecer aeronaves e sistemas para o governo dos EUA, mas acredita que sua proposta é a mais eficiente e econômica – capaz de superar a marca de 180 nós (mais de 330 km/h) exigida pelos requisitos técnicos.

O Exército dos EUA deverá escolher quais serão os fabricantes que produzirão protótipos avançados para a fase de seleção da melhor proposta nos próximos anos. Quem sabe, então, seja feita justiça ao genial projetista afinal.

O AR40 possui um motor e propulsão pusher (Karem)

Veja também: Bell revela seu novo helicóptero de ataque 360 Invictus