(PD Aerospace)

O avião espacial da empresa japonesa é projetado para transportar 6 passageiros (PD Aerospace)

Cada vez mais em evidência, o setor aeroespacial privado tem como um de seus elementos mais ambiciosos e empolgantes o envio de turistas ao espaço. Entre a SpaceX, Virgin Galactic e Blue Origin, as propostas incluem levar clientes a altitudes suborbitais, voar até a Lua ou mesmo para Marte. Além dessas três gigantes, outras empresas menores também buscam seu lugar fora de nosso planeta, como é o caso da startup PD Aerospace, do Japão.

Fundada em 2007, a empresa japonesa com sede em Nagoya é uma desenvolvedora aeroespacial que pretende oferecer serviços de lançamentos de satélites, transporte intercontinental e voos suborbitais. E como praticamente todas as companhias desse setor, a PD Aerospace também aposta em prazos ousados (e algumas vezes irreais…) e promete iniciar o envio de turistas ao espaço já a partir de 2023.


A startup divulgou recentemente que tem 11 funcionários trabalhando em uma fábrica na província de Aichi para criar uma veículo aéreo não tripulado para testar seu conceito de propulsão. De acordo com a PD Aerospace, quando o trabalho neste veículo for concluído o mesmo será enviado para um voo de teste a uma altitude de 110 km. Essa faixa é conhecida como a “Linha Karman”, que representa o limite entre a atmosfera da Terra e o espaço exterior.

A trajetória da PD Aerospace começou em 2004, quando a espaçonave SpaceShipOne da Scaled Composites – o primeiro veículo privado projetado para alcançar o espaço – ganhou o prêmio Ansari X de US$ 10 milhões. Isso inspirou Shuji Ogawa, presidente da startup japonesa, a criar sua própria empresa aeroespacial.

“Gostaríamos de abrir uma nova era espacial (com a espaçonave). O espaço tem o poder de atrair pessoas”, disse Ogawa, em entrevista recente ao jornal The Japan Times.

Após a conclusão dos testes, a PD Aerospace planeja realizar voos espaciais usando uma versão em grande escala da espaçonave, que será comandada por dois pilotos e terá espaço para transportar seis passageiros. O preço de cada bilhete é estimado em ¥ 17 milhões de ienes (cerca de R$ 629 mil) por pessoa.

(PD Aerospace)

O protótipo não-tripulado da PD Aerospace parece um mini-caça F/A-18 (PD Aerospace)

Depois de decolar, a aeronave voará até uma altitude de 15 km, onde o motor do foguete será acionado e continuará funcionando até o avião espacial alcançar 110 km, onde os passageiros poderão experimentar a ausência de gravidade por 5 minutos. Feito isto, a nave então descerá de volta à Terra planando até aterrissar em uma pista.

Se tudo correr como planejado, a PD Aerospace planeja realizar um voo de teste tripulado com seu avião espacial até agosto de 2021. A empresa espera receber sua certificação até junho de 2023, seguida do primeiro voo comercial, programado para dezembro de 2023. No longo prazo a startup japonesa espera estabelecer-se como um importante participante na indústria de exploração espacial, com empreendimentos que vão desde o turismo lunar e a mineração de asteroides a hotéis espaciais.

Veja mais: Boeing divulga primeira imagens do novo 777X na linha de montagem