O e-Go SSDR pode decolar com peso máximo de 280 kg (e-Go Aeroplanes)

O e-Go SSDR pode decolar com peso máximo de 280 kg (e-Go Aeroplanes)

A fabricante britânica e-Go Aeroplanes entregou no início deste mês a um cliente na Inglaterra a primeira unidade do curioso e-Go SSDR, sigla em inglês que pode ser interpretada como “Avião Monoposto Experimental”. Segundo a empresa, o lançamento da aeronave “redefine” a categoria de aviões leves para o lazer e oferece funcionalidade e praticidade sem iguais na aviação.

De acordo com especificações do fabricante, o e-Go tem apenas 3,79 metros de comprimento e 7,99 m de envergadura de asas. Também é muito leve: pesa apenas 139 kg vazio e pode decolar com até 280 kg. E para facilitar, o avião pode ser desmontado.


As asas e os estabilizadores dianteiros podem ser desencaixados, assim como o conjunto do trem de pouso. Desta forma, o proprietário pode transportar a aeronave com uma pequena carreta.

Essa característica permite ao proprietário levar o avião para a casa após um voo, em vez de deixá-lo armazenado no hangar de um aeroporto – e pagar taxas por isso.

Apesar de pequeno, o e-Go pode voar com pilotos de “grande porte”. Segundo o fabricante, o cockpit é configurado para um piloto com até 1,90 metro e 110 kg. O avião ainda possui um pequeno bagageiro para mais 15 kg de carga.

Design de Fórmula 1


O avião fabricado na Inglaterra é uma aeronave experimental (e-Go Aeroplanes)

O avião fabricado na Inglaterra é uma aeronave experimental (e-Go Aeroplanes)

Como explica a e-Go Aeroplanes, voando a velocidade de cruzeiro de 160 km/h o “mini-avião” pode realizar viagens de até 530 km (o tanque leva apenas 30 litros de combustível). Mas ele pode ir mais rápido: o modelo pode voar a até 220 km/h, velocidade que a fabricante recomenda não ultrapassar. Já a altitude máxima que o aparelho atinge é de 3.000 metros (10.000 pés).

A fabricante britânica afirma que a técnica de construção utilizada na aeronave é a mesma dos carros de Fórmula 1. Praticamente todos os componentes da fuselagem e asas são construídos com fibra de carbono, material muito leve e resistente.

O avião da e-Go pode ser transportado de carreta (e-Go Aeroplanes)

O avião da e-Go pode ser transportado de carreta (e-Go Aeroplanes)

A motorização do avião é a gasolina, mas um pouco diferente. O e-Go SSDR é impulsionado por um motor wankel de 30 hp, que utiliza um rotor semelhante a um triângulo em vez de pistões, como em motores convencionais. A principal característica desse tipo de propulsor é o nível baixíssimo de vibrações. Os “motores rotativos”, como são conhecidos, foram muito utilizados em carros esportivos da fabricante japonesa Mazda.

Design complexo: os grandes wingles nas asas funcionam como o leme da aeronave (e-Go Aeroplanes)

Design complexo: os grandes wingles nas asas atuam como leme, de controle lateral da aeronave (e-Go Aeroplanes)

Mercado

William Burnett, presidente da e-Go Aeroplanes e proprietário do primeiro modelo, revelou a revista americana Flyer, que a empresa pretende entregar mais duas aeronaves ainda neste ano e também prepara novidades. O diretor da e-Go confirmou a publicação que o piloto de testes do avião, Keith Dennison, está expandindo o “envelope de voo” da aeronave e incluindo acrobacias.

A fábrica da e-Go fica instalada em uma fazenda em Conington. Cada unidade do “aviãozinho” tem preço inicial de 50 mil libras esterlinas, cerca de R$ 246 mil.

Nota do editor: “Envelope de voo” é um termo da aviação usado para determinar as fases de testes de uma nova aeronave. A cada envelope “aberto”, algo novo é testado e certificado pelo fabricante. No caso da e-Go, ela está prestes a abrir o envelope de acrobacias aéreas, que pode ser aprovado ou não.

Veja mais: UberCOPTER estreia em São Paulo