Boeing 777-200LR da Emirates (Maarten Visser/Wikimedia)

A Emirates Airline anunciou nesta semana adequações em sua malha de voos e que incluem a redução da oferta de assentos para destinos na América do Sul. A principal mudança está no fim do voo entre Dubai e Santiago do Chile e que tinha escala em São Paulo. A capital chilena passará a ser atendida via Rio de Janeiro com três dos sete voos semanais seguindo até lá – os demais permanecem para Buenos Aires.

Embora mantenha o voo diário, o Rio de Janeiro passará a ser atendido por um jato menor, o Boeing 777-200LR no lugar do 777-300ER atualmente utilizado. Trata-se de uma redução de 26% na oferta de assentos semanal enquanto Santiago do Chile perderá ainda mais lugares: 40% a menos se levarmos em conta as atuais cinco frequências semanais, mas que já haviam sido reduzidas anteriormente por conta de obras no aeroporto de Dubai.



No entanto, em números absolutos é São Paulo quem verá a maior redução: com o fim do segundo voo serão 1.330 assentos a menos por semana, ou 27% de redução. A capital paulista, porém, preservará seu voo principal diário, único na região a ser operado com o Airbus A380 com 517 lugares.

A troca de aeronaves afeta apenas os passageiros da classe econômica já que a configuração do 777 da Emirates é padrão na classe executiva (42 assentos) e primeira classe (oito cabines).

Para quem pretende utilizar a Emirates é importante lembrar que todas as mudanças só serão efetivadas a partir de 1º junho de 2019, quando a companhia aérea de Dubai fará várias outras modificações em sua malha.

Veja também: Salvadora do A380, Emirates comemora 10 anos de operação com modelo

Airbus A380 estacionado no Terminal 3 do aeroporto de Guarulhos (Airbus)

Airbus A380 estacionado no Terminal 3 do aeroporto de Guarulhos: voo principal de São Paulo preservado (Airbus)