A Emirates possui mais de 260 aeronaves e voa para 164 destinos (Emirates Airlines)

A Emirates possui mais de 260 aeronaves e voa para 164 destinos (Emirates Airlines)

A consultoria britânica Brand Finance, que analisa marcas de todos os segmentos do mundo inteiro e as ordena de acordo com seu valor, divulgou nesta semana o ranking das companhias aéreas mais valiosas do mundo de 2016. E, pelo quarto ano consecutivo, deu Emirates Airlines.

A companhia com sede em Dubai, de acordo com a consultoria, é avaliada em US$ 7,7 bilhões neste ano, valor 17% superior ao de 2015. Além do patrimônio da empresa, como aeronaves e instalações de manutenção, a consultoria também avalia o valor da marca a partir de fatores como ligação emocional dos clientes, desempenho financeiro e ações de sustentabilidade.


O Brand Finance ainda estima que em 2020, se tal desempenho for mantido, a Emirates poderá se tornar a primeira marca do Oriente Médio a entrar no top 100 de marcas globais, atualmente liderado pela Apple (valiada em US$ 149,5 bilhões) – no ranking geral a companhia aparece na 171º posição.

E a vantagem da Emirates em relação ao segundo colocado na tabela, a companhia norte-americana Delta Airlines, é de U$ 1,1 bilhão. Avaliada em US$ 6,3 bilhões e com uma desvalorização de 1% no ano, a Delta por pouco foi superada por sua conterrânea American Airlines, que passou por uma valorização de 69% e atualmente vale US$ 6,1 bilhões.

Segundo o Brand Finance, um dos principais fatores que levou a valorização da American foi sua intenção de retomar os voos comerciais para Cuba, após a queda do embargo econômico ao país.

Acidentes aéreos = desvalorização


A Lufthansa, que liderou o ranking em 2011, caiu para a 10º colocação neste ano após uma desvalorização na ordem de 27%, reduzindo seu valor para US$ 2,9 bilhões – foi a maior desvalorização do ano.

A Lufthansa foi a marca que sofreu maior desvalorização no ano, com queda de 27% (Lufthansa)

A Lufthansa foi a marca que sofreu maior desvalorização no ano, com queda de 27% (Lufthansa)

De acordo com o Brand Finance, dois fatores causaram esse efeito a empresa alemã: o aumento da concorrência com as “low cost” (companhias de baixo custo) e o acidente em março de 2015 com o Airbus A320 da Germanwings, que pertence ao grupo Lufthansa.

A Malaysia Airlines, que perdeu dois aviões em 2014, teve outro ano ruim. Segundo a análise da consultoria, a companhia malaia sofreu desvalorização de 26% e caiu para a 37º posição no ranking. A empresa é avaliada em US$ 462 milhões.

Tam no Top 50

A companhia brasileira Tam Linhas Aéreas também aparece entre as mais valiosas do mundo, embora já tenha alcançado posições mais elevadas no mesmo ranking – a Tam esteve entre as 20 empresas mais valiosas do setor, em 2012 e 2013.

Entre 2012 e 2013, a Tam foi uma das 20 marcas mais valiosas do setor; hoje está em 30º (TAM)

Entre 2012 e 2013, a Tam foi uma das 20 marcas mais valiosas do setor; hoje está em 30º (TAM)

Atualmente avaliada em US$ 884 milhões e com um crescimento de 9% em 2015, a Tam subiu uma posição na tabela e aparece na 30º colocação do Brand Finance, à frente de companhias como Iberia, da Espanha, e Swiss, com sede na Suíça.

A Tam é única empresa brasileira que aparece entre as 50 mais valiosas do mundo e a primeira da América do Sul. As outras empresas sul-americanas que aparecem na tabela são a Avianca Colombia, avaliada em US$ 675 milhões e na 37º posição, e a Lan Chile, com patrimônio avaliado em US$ 577 milhões e atualmente na 41º colocação.

Lista das companhias aéreas mais valiosas de 2016 traz apenas a TAM entre as brasileiras

Lista das companhias aéreas mais valiosas de 2016 traz apenas a TAM entre as brasileiras (Airway)

Veja mais: Por dentro da “oficina” de aviões da Tam