A FAB conta atualmente com cinco jatos E-99; toda frota será modernizada até 2022 (FAB)

A FAB conta atualmente com cinco jatos E-99; frota será modernizada até 2022 (FAB)

Uma das aeronaves mais interessantes no inventário da Força Aérea Brasileira (FAB), os “aviões-radares” E-99 estão em processo de modernização. Os jatos, baseado no modelo comercial ERJ-145, serão atualizados pela Embraer na unidade de Gavião Peixoto (SP).

De acordo com a FAB, os E-99 terão seus sistemas de missão atualizados, ampliando as capacidades da aeronave, que atualmente é empregada em operações de controle e defesa do espaço aéreo brasileiro.



“A modernização contribuirá para o emprego mais eficiente do poder aeroespacial brasileiro. Ela é necessária para ampliar o ciclo de vida e elevar a capacidade operacional da aeronave. Vai aumentar o alcance radar, a velocidade de processamento das informações e possibilitar a identificação de alvos com mais antecedência e melhor precisão. Serão ampliados o número de operadores embarcados e de rádios que, com a implementação do novo sistema de comando e controle, vão aperfeiçoar a realização da missão.”, afirmou o gerente do Projeto E-99M, Coronel Aviador Carlos Sérgio da Costa Lima.

A previsão da Aeronáutica é de que a primeira aeronave fique pronta e seja no primeiro semestre de 2020. Ao todo, cinco aeronaves vão passar pelo mesmo processo, programado para ser concluído em 2022. A Embraer já iniciou os trabalhos de atualização em duas aeronaves.

O processo de atualização do programa E-99M já está em andamento com duas aeronaves (FAB)

O processo de atualização do programa E-99M já está em andamento com duas aeronaves (FAB)

Olhos no céu

Os E-99 entraram em operação na FAB em 2002, como parte das aquisições destinadas a compor o Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM). A característica mais marcante da aeronave é a grande antena de radar na parte superior da fuselagem. O equipamento é capaz de detectar alvos aéreos e transmitir essas informações para os centros de controle em terra ou outras aeronaves.

O radar usado no E-99 é o Erieye, desenvolvido pela SAAB. O sistema possui 192 módulos auto-direcionáveis de transmissão e recepção de sinais. Por isso, em vez de uma varredura rotativa convencional (e mais lenta), o equipamento faz uma busca seletiva, podendo acompanhar simultaneamente diferentes aeronaves que voam ao redor da antena. Segundo o fabricante, o equipamento possui um alcance de busca de 350 km a 450 km voando a 7.620 metros.

Além do Brasil, o E-99 também é operado pelas forças aéreas do México, Grécia e Índia, que recentemente atualizou seus modelos e incluiu equipamentos de reabastecimento aéreo.

Veja mais: Boeing e Embraer podem fabricar KC-390 nos EUA