A Força Aérea Brasileira vai receber 28 jatos KC-390 em 12 anos a partir da primeira entrega, em 2018 (FAB)

A Força Aérea Brasileira vai receber 28 jatos KC-390 em 12 anos a partir da primeira entrega, em 2018 (FAB)

Um protótipo do cargueiro KC-390 chegou nesse domingo (20) às instalações da Embraer em Jacksonville, na Florida, nos Estados Unidos. Segundo a fabricante, a aeronave ficará nos EUA durante as próximas duas a três semanas realizando testes para a campanha de certificação.

Como explicou a Embraer, o avião que foi para a Florida será submetido a testes nos sistemas de aviônicos (comandos de voo), medição de ruído externo e operações com vento cruzado.



“O KC-390 estabelece novos padrões no mercado e a campanha de testes em voo está progredindo extremamente bem, comprovando o desempenho e as capacidades da aeronave”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa e Segurança. “Estamos muito satisfeitos com a maturidade que este produto já alcançou e totalmente confiantes de que sua certificação será alcançada conforme previsto”.

De acordo com a Embraer, os dois protótipos do KC-390 acumulam mais de 1.450 horas e voo e a empresa ainda afirma que a aeronave demonstra “altas taxas de disponibilidade”, o que significa em outras palavras que o cargueiro militar está sempre pronto para voar. A campanha de testes de voo do projeto foi iniciada em outubro de 2015.

A Embraer ainda adiantou que a Capacidade Operacional Inicial (IOC) do KC-390 deve ser atingida até o final deste ano. Esse certificado libera a fabricante para transferir o produto para a equipe de transição, no caso a Força Aérea Brasileira (FAB), primeiro cliente da aeronave.

Numa só tacada, o KC-390 pode substituir três tipos de aeronaves na Nova Zelândia (FAB)

O KC-390 pode ser empregado em variadas missões, como transporte e reabastecimento aéreo de caças (FAB)

As primeiras entregas do KC-390 para a FAB estão programadas acontecer até o final de 2018. Ao todo, a Aeronáutica vai receber 28 exemplares da aeronave em 12 anos. Outro cliente que confirmou pedidos pelo novo jato militar da Embraer é a força aérea de Portugal, com uma encomenda firme por cinco unidades e opção para mais uma aeronave.

Teste normais após “susto”

O comunicado da Embraer sobre o envio do KC-390 aos EUA foi o primeiro da empresa informando sobre o andamento do programa de testes do projeto após um incidente ocorrido com a aeronave em outubro e que ganhou notoriedade no início deste mês.

Na ocasião, o protótipo número 1 do KC-390 passou por uma queda brusca de altitude enquanto realizava um voo de teste em perfil crítico, em situação de pré-estol, prestes a perder a sustentação. A fabricante não esclareceu as causas do incidente, mas confirmou que componentes da aeronave ficaram danificados após a descida repentina.

Caça F-5 conectado com a mangueira de combustível do Embraer KC-390 (Divulgação)

Caça F-5 conectado com a mangueira de combustível do Embraer KC-390 (Divulgação)

Os danos no protótipo foram causados pelas fortes forças G que o avião suportou durante o rápido momento de perda de altitude. Em contrapartida, a Embraer confirmou que o incidente não danificou a estrutura da aeronave e que a mesma voltará a voar assim que receber que as peças de reposição, que ainda não são produzidas em série.

O incidente com o KC-390 causou mais danos no mercado de ações da Embraer do que na aeronave de teste. Quando mais informações sobre o incidente foram divulgadas pela imprensa, as ações da empresa caíram quase 1%, justamente no dia em que a Ibovespa teve a maior alta de novembro.

Veja mais: FAB vai receber primeiros caças Gripen NG em 2021