Primeiro AF-1 modernizado é entregue a Marinha do Brasil em Gavião Peixoto (SP)

Primeiro AF-1 modernizado é entregue a Marinha do Brasil em Gavião Peixoto (SP)

A Embraer entregou nesta terça-feira (26) o primeiro caça AF-1 modernizado em cerimônia na fábrica em Gavião Peixoto (SP) com presença de autoridades da Marinha do Brasil. O programa prevê a revitalização e modernização de 12 caças AF-1 (nove monopostos e três bipostos), que é a designação da marinha brasileira para o veterano McDonnell Douglas A-4 Skyhawk. Todos os aviões devem ser finalizados ainda neste ano.

Segundo informe da Embraer, o AF-1 recebeu novos sistemas de navegação e de geração de energia, armamentos atualizados e aparelhos de comunicação, sensores e radar multímodo de última geração. Esses equipados, aliado a reforça estrutural, permitirão a estes caças operar até 2025.


“Para a Marinha do Brasil, a modernização das aeronaves AF-1 na Embraer é mais um importante passo na capacitação da Base Industrial de Defesa brasileira e os resultados alcançados permitirão que a Aviação Naval opere uma aeronave com sensores e equipamentos no estado da arte, representando um grande salto de qualidade na capacidade da Força”, disse o Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Comandante da Marinha.

“Este é o primeiro contrato de integração de sistemas que firmamos com a Marinha do Brasil e, portanto, um marco na nossa relação”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

Veja mais: A primeira guerra de um avião Embraer

Só falta o porta-aviões…


O porta-aviões NAe São Paulo da Marinha do Brasil está parado no Rio de Janeiro desde 2011 para concluir uma série de reformas e atualizações de sistemas. Neste ano, a embarcação foi desatracada para efetuar reparos nos motores e a previsão é de que volte ao mar somente em 2019, segundo previsão das forças armadas. Desta forma, as aeronaves AF-1 modernizadas terão de continuar operando a partir de bases em terra.

Veja mais: Marinha do Brasil demonstra interesse pelo míssil mais rápido do mundo

O porta-aviões NAe São Paulo não realiza operações navais desde 2011

O porta-aviões NAe São Paulo não realiza operações navais desde 2011

O navio foi comprado da França em 2000 e seu antigo nome era FS Foch. O porta-aviões São Paulo substituiu o NAe Minas Gerais, que tinha metade da capacidade da embarcação atual. O navio francês empregado atualmente foi construído entre 1958 e 1960.

O São Paulo pode carregar até 40 aviões e leva uma tripulação de 1.000 homens. Na últimas atividades realizadas pela Marinha, o navio operou com uma combinação de caças AF-1, aviões patrulha S-2 Tracker e helicópteros de apoio.