A Fuji Dream Airlines voa com jatos da Embraer desde 2009 (Embraer)

A Embraer confirmou nesta terça-feira (18) mais dois pedidos por novas aeronaves na 53° edição do Paris Air Show, um da companhia aérea japonesa Fuji Dream Airlines (FDA) e outro da espanhola Binter Canarias. A primeira empresa encomendou dois jatos E175, enquanto a segunda vai adquirir dois E195-E2.

A encomenda da FDA é avaliada em US$ 97,2 milhões e já constava na carteira de pedidos da Embraer no primeiro semestre deste ano como “cliente não divulgado”. Os E175 da empresa japonesa serão configurados com 84 assentos. De acordo com o fabricante, as aeronaves serão entregues a partir deste ano.


“Estamos extremamente satisfeitos em aumentar continuamente nossa frota e nosso relacionamento com a Embraer”, comentou Yohei Suzuki, presidente do conselho de administração e CEO da Fuji Dream Airlines. A FDA opera atualmente 14 aeronaves da Embraer, sendo três modelos E170 e 11 E175, adquiridos a partir de 2009.

A Binter Canarias, por sua vez, está exercendo o direito de compra de mais dois E195-E2 avaliados em US$ 141,8 milhões. Em novembro de 2018, a empresa baseada nas Ilhas Canarias já havia confirmado um pedido firme por três unidades do novo jato brasileiro. A companhia espanhola será o primeiro cliente europeu do maior modelo da família E2. O primeiro avião será entregue a companhia da Espanha no segundo semestre deste ano, informou a Embraer.

A Binter encomendou três unidades do Embraer E195-E2 mais duas opções, agora exercidas (Embraer)

“Estamos felizes em confirmar o pedido firme desses dois novos E195-E2 da Embraer”, disse Rodolfo Núñez, vice-presidente da Binter. “Sabemos que o E195-E2 é o modelo de aeronave ideal para as nossas operações e, com a típica eficiência da Embraer, a Certificação de Tipo ocorreu precisamente dentro do cronograma. Isto, aliado ao consumo de combustível e outros indicadores de desempenho se mostrando ainda melhores do que o inicialmente esperado, nos deu total confiança para este novo pedido firme.”

Veja mais: Grupo IAG pode comprar até 200 jatos Boeing 737 MAX