O Embraer E190-E2 será o primeiro avião com motores a jato da Widerøe (Divulgação)

O Embraer E190-E2 será o primeiro avião com motores a jato da Widerøe (Divulgação)

A Embraer confirmou nesta quarta-feira (18) que a primeira entrega do E190-E2 para Widerøe, cliente-lançador da aeronave, ocorrerá em abril de 2018. O anúncio foi feito em uma coletiva de imprensa em Atenas, na Grécia, durante a Assembleia Geral da Associação de Companhias Aéreas Regionais (ERA, na sigla em inglês).

A Widerøe, da Noruega, é a maior companhia aérea regional da Escandinávia. A empresa iniciará as operações regulares com a aeronave da Embraer pouco tempo após a entrega.



“Desde que o programa foi lançado, o primeiro semestre de 2018 tem sido nossa meta, e agora estamos próximos de cumprir esse compromisso. Isso só foi possível graças à excelência dos processos de engenharia e também à nossa experiência única na certificação de 12 novas aeronaves nos últimos 17 anos”, disse John Slattery, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “Desde o começo, o programa E2 esteve e permanece no prazo, dentro do orçamento e está ainda melhor do que a especificação inicial. Entregaremos ao mercado uma aeronave madura e robusta.”

A Widerøe assinou um contrato com a Embraer para até 15 jatos E2 que consiste em três pedidos firmes para o E190-E2, primeiro integrante da segunda geração da família de E-Jets, além de direitos de compra 12 E2s. O pedido tem um preço de lista potencial de até US$ 873 milhões, se todos os direitos de compra forem exercidos. A companhia aérea vai configurar o E190-E2 com interior de classe-única com 114 assentos.

Stein Nilsen, CEO da Widerøe, afirma que “estamos trabalhando muito próximos às equipes da Embraer com o objetivo de garantir uma entrada de serviço suave. Estamos ansiosos pelos próximos meses, quando será intensificada a familiarização com a aeronave, com imersão de treinamento para as equipes técnicas e de movimentação de solo, operadores em voo e comissários de voo.”

Primeiro jato em 83 anos

O E190-E2 será o primeiro avião com motores a jato da Widerøe, empresa fundada em 1934. A companhia opera atualmente cerca de 40 aeronaves turbo-hélice modelos Dash 8-100, fabricados pela de Havilland Canada, e diferentes versões do Q Series, a versão do Dash-8 redesenhado pela Bombardier, do Canadá.

A Widerøe opera diferentes versões do turbo-hélice canadense Dash-8 (Divulgação)

A Widerøe opera diferentes versões do turbo-hélice canadense Dash-8 (Divulgação)

A companhia regional da Noruega possui uma malha de voos que liga o sul ao norte do país, inclusive com uma série de destinos em aeroportos na região do Círculo Polar Ártico. A Widerøe opera mais de 450 voos domésticos por dia, além de rotas para dois destinos na Suécia.

Veja mais: Líbano recebe primeiros Super Tucanos