O KC-390 é projetado para transportar até 26 toneladas de carga, capacidade superior a do Hercules (FAB)

O KC-390 é projetado para transportar até 26 toneladas de carga, mais que o C-130 Hercules (FAB)

Cotado para ser o primeiro cliente internacional do novo cargueiro militar KC-390, Portugal pode estar perto de concretizar sua compra. Segundo o jornal português Diário de Notícias, a Embraer aceitou a condição do governo lusitano em pagar 827 milhões de euros por cinco aeronaves.

De acordo com a publicação, a Embraer pedia “algumas dezenas de milhões de euros” acima dos 827 milhões. Esse valor é o orçamento máximo inscrito da proposta de Lei de Programação Militar (LPM) aprovada, em novembro de 2018, pelo Conselho de Ministros em Lisboa, para o programa de substituição dos C-130 Hercules da Força Aérea Portuguesa. A cifra pedida pela fabricante brasileira não foi divulgada.


O incomodo dos portugueses com o valor cobrado pela Embraer veio a público em janeiro deste ano, durante uma audição parlamentar do então chefe do Estado-Maior da força aérea sobre o teto da nova LPM. Dias depois, o ministro da Defesa de Portugal reforçou que país desistiria de comprar os KC-390 se a fabricante não baixasse o preço dos aviões, e escolheria outro modelo para substituir os Hercules.

Além das cinco aeronaves, o acordo com a Embraer ainda abrange um simulador de voo e manutenção durante o clico de vida útil dos aviões, acrescentou o jornal.

Apesar de todo envolvimento dos portugueses no programa KC-390, com importantes fábricas de componentes da aeronave instaladas no país, Portugal ainda não é um cliente do novo jato militar da Embraer. A compra dos aviões ainda depende da LPM ser aprovada no parlamento em Lisboa e só depois o contrato pode ser assinado.

(Pedro Aragão/Creative Commons)

Portugal opera os C-130 há mais de 40 anos; KC-390 é o substituto preferido (Pedro Aragão/Creative Commons)

Citando fontes não identificadas no ministério da defesa de Portugal, a publicação apontou que está afastada a possibilidade de um “contrato promessa” com a Embraer, porque esses documentos normalmente incluem multas se for ultrapassado o prazo acordado para assinar o contrato definitivo.


Em entrevista ao jornal português, o ministro da Defesa de Portugal, João Gomes Cravinho, disse que a compra dos cinco KC-390 está em fase “pré-final de negociação”. O parlamentar ainda afirmou que a decisão final sobre a aquisição deve ser divulgada em até três meses.

Além de Portugal, parceiro no programa e potencial cliente do KC-390, outros países também tem esse mesmo status, embora com participações menores no desenvolvimento. São eles a Argentina, Chile, Colômbia e República Tcheca.

Até agora o único cliente confirmado do KC-390, a Força Aérea Brasileira deve receber sua primeira aeronave no primeiro semestre deste ano e a segunda na última metade do ano. A encomenda da FAB é de 28 aeronaves.

Veja mais: Brasil ficou perto de comprar caças MiG-21 feitos na China