Sukhoi Su-35: Egito deve ser o novo cliente do caça russo (UAC)

A Força Aérea do Egito deve ampliar significativamente sua frota de caças russos. Após encomendar 46 MiG-29M, modelo mais avançado do caça, o país africano teria chegado a um acordo com a Rússa para a aquisição de mais de 20 caças Sukhoi Su-35, segundo o site Kommersant.

O negócio deve atingir a cifra de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 7,6 bilhões) e teria sido assinado em dezembro de 2018. A previsão é que os primeiros aviões sejam entregues entre 2020 e 2021. Além do Egito, o Su-35 foi encomendado pela China, além da Força Aérea da Rússia.


Versão avançada do Su-27, o Su-35 possui uma capacidade superior de manobras e transportar armamentos. Seus aviônicos também são mais modernos e incluem um radar de rastreamento passivo e a possibilidade de engajar em múltiplos alvos. Ele pode decolar com cerca de 8 toneladas de armamentos e é capaz de atingir Mach 2,25 (2.778 km/h).

Caso seja confirmada, a nova aquisição egípcia reforça uma mudança de perfil na origem dos aviões de combate do país. Após anos recebendo aviões soviéticos como o MiG-21 e seu clone chinês, o Chengdu J-7, o Egito decidiu encomendar o caça norte-americano F-16 que hoje é o mais numeroso da frota, com pelo menos 160 aviões ativos de uma encomenda de 240 unidades.

O Egito encomendou o MiG-29M, sua versão avançada, recentemente (Dmitri Terekhov via Twitter)

Recentemente, a Força Aérea do Egito também encomendou o caça Dassault Rafale, um dos poucos clientes do avião francês. Seis dos 24 caças encomendados já foram entregues ao país que é um cliente tradicional da Dassault – os caças antigos Mirage 2000 e 5 ainda fazem parte de alguns esquadrões.

F-15 egípcios ficaram pelo caminho


Rival direto do Flanker, o caça F-15 quase chegou a ser encomendado pelo Egito nos anos 80. Na época, o presidente do país, Anwar Sadat, buscava receber armamento sofisticado dos EUA para compensar o fornecimento de aviões de combate para Israel, incluindo o então caça mais avançado da USAF. No entanto, a administração Carter preferiu vender o menos sofisticado F-16 na tentativa de impedir uma maior influência da União Soviética na região.

Caças F-16 do Egito: avião de combate americano é o mais numeroso no país, mas está perdendo espaço para os russos (USAF)

Veja também: Força aérea russa encomendas 12 caças Sukhoi Su-57