Essa é a segunda vez que a Delta aposenta o 747; a primeira despedida aconteceu em 1977 (Delta Airlines)

Essa é a segunda vez que a Delta aposenta o 747; a primeira despedida aconteceu em 1977 (Delta Airlines)

Após realizar um tour de despedida e uma série de voos fretados durante o Natal, o último Boeing 747 da companhia aérea Delta Airlines, dos Estados Unidos, realizou sua última viagem nessa quarta-feira (4). O voo derradeiro do jato, porém, não foi comercial: a aeronave partiu do aeroporto internacional de Atlanta rumo ao aeroparque de Marana, no deserto do Arizona, onde fica localizado um dos maiores “cemitérios” de aviões do mundo.

Mas não faltaram passageiros a bordo do último voo de 747 da Delta. A aeronave se dirigiu ao local de seu descanso final transportando funcionários da companhia, incluindo um casal que decidiu se casar durante a última viagem no Jumbo, a comissária de bordo Holly R. e o piloto Gene P.



“Nos conhecemos há nove anos atrás a bordo de um 747-400”, contou Gene. “Desde então passamos anos voando juntos nesse avião ao redor do mundo. De muitas maneiras, nós realmente crescemos no 747, então é uma boa saudação dizer adeus com esse marco. Para nós, é realmente uma maneira de mostrar que, como uma vida acaba, outra começa”, completou.

“Eu amo esse avião, realmente me sinto em casa”, disse Holly. “Sempre foi meu avião favorito, e ele também é absolutamente o amor de Gene. Ele ama o avião tanto quanto me ama”.

A Delta foi a última companhia norte-americana a desativar o 747 em voos comerciais. No ano passado, a aeronave também ainda era utilizada no transporte de passageiros pela United. Nos EUA, o jumbo ainda segue em operação na versão cargueira com três empresas (UPS, Atlas e Centurion AirCargo).

O casamento foi realizado enquanto o avião voava a 35.000 pés de altitude (Delta Airlines)

O casamento foi realizado enquanto o avião voava a 35.000 pés de altitude (Delta Airlines)

Segunda aposentadoria

Essa é a segunda e certamente a última vez que a Delta aposenta seus 747. Em 1977, a companhia vendeu seus primeiros 747-100 ao constatar que os aviões eram muito grandes para suas rotas, preferindo o menor Lockheed L-1011 Tristar. Somente em 2009 o 747 voltou à Delta, quando a empresa absorveu a concorrente Northwest e herdou suas duas dezenas de 747-400.

Com um alto custo de manutenção e consumo de combustível elevadíssimo, aviões quadrimotores como o Boeing 747 (ou o Airbus A380) vem perdendo espaço para modelos de grande porte impulsionado por apenas dois motores. A demanda por aeronaves do porte do Jumbo está tão baixa que os fabricantes cogitam até mesmo encerrar as produções desses gigantes em breve.

A Delta foi um dos primeiros operadores do 747; a companhia recebeu os primeiros jatos em 1970 (Delta Airlines)

A Delta foi um dos primeiros operadores do 747; a companhia recebeu os primeiros jatos em 1970 (Delta Airlines)

Seguindo essa tendência, a Delta vem substituindo seus antigos 747 pelo avançado Airbus A350, hoje um dos bimotores mais eficientes do mercado.

Veja mais: Juntas, Boeing e Embraer podem criar super grupo aeroespacial