Boeing 767-300ER da Delta (Aero-Icarus/Wikimedia)

Três meses depois de confirmar mais uma temporada sazonal do voo entre o Rio de Janeiro e Nova York, a Delta Air Lines voltou atrás e cancelou a frequência que deveria ocorrer entre 19 de dezembro e 9 de março de 2020. Com isso a capital fluminense continuará indefinidamente sem uma ligação direta com a maior cidade dos EUA pela primeira vez em sua história.

Desde o fim de março os dois voos que faziam a rota foram suspensos. Além do trecho sazonal da Delta, a American Airlines encerrou seu voo regular. A companhia continua presente no Galeão com seus voo para Atlanta, onde fica seu maior hub nos EUA.


“A Delta tomou a difícil decisão de suspender seu serviço sazonal de inverno do seu hub de Nova York (JFK) para o Rio de Janeiro (GIG) que estava programado para acontecer entre os dias 19 de dezembro de 2019 e 9 de março de 2020. A Delta avalia continuamente as necessidades e desempenho de suas rotas para otimizar seu serviço aos clientes, recursos e distribuição da frota. O mercado brasileiro é um componente central da estratégia da Delta na América Latina. A Delta continua a atender o mercado brasileiro com voos de sua sede em Atlanta para São Paulo e Rio de Janeiro, bem como com voos do aeroporto JFK, de Nova York, para São Paulo”, diz nota enviada pela companhia aérea ao site.

Além do voo entre o Rio e Nova York, a Delta também suspendeu o voo entre São Paulo e Orlando e também a rota Guarulhos-Detroit nos últimos meses.

Esperança no ar?

A redução da oferta de voos pela companhia aérea americana ocorre num momento em que a crise econômica persistente no Brasil e a cotação do dólar elevada tornam o turismo mais difícil para os brasileiros. No entanto, a recente decisão do governo brasileiro de eliminar a necessidade de vistos para os passageiros dos Estados Unidos parecia ser um impulso para gerar um fluxo de turistas para o país. Ademais, a rota entre o Brasil e Nova York perdeu um voo diário nas últimas semanas quando a Avianca encerrou suas operações internacionais.

Resta esperar que a economia brasileira melhore e que a Delta possa colocar em serviço seus jatos mais modernos para o Brasil. Hoje a companhia utiliza o Boeing 767 e o A330, widebodies mais antigos e que consomem mais combustível.

Desde 2017, a Delta opera o Airbus A350, mas até hoje o modelo não foi usado nos voos para o Brasil. Por isso a chegada do novo A330-900neo à sua frota pode ser uma esperança de tornar a rota sustentável. A Airbus está prestes a entregar o primeiro avião nas próximas semanas, de uma encomenda de 35 unidades.

O primeiro A330-900neo da Delta decola na França

O primeiro A330-900neo da Delta decola na França: esperança de retorno ao Brasil? (Airbus)

Veja também: Voos da Norwegian Air do Rio para Londres estrearam em março