Boeing 767-300 da Condor: companhia alemã encerrou operação no Brasil (Oliver Holzbauer)

Conhecida pelos preços acessíveis e um bom serviço focado em atender o Nordeste brasileiro, a companhia aérea Condor realizou neste fim de semana seu último voo para o país. O voo DE 2347 decolou de Fortaleza no domingo e pouso em Frankfurt já na segunda-feira, encerrando sua operação no Brasil. Antes disso, na semana passada, a empresa já havia realizado a última frequência para Recife, seu outro destino no país.

Afetada pela falência da empresa de turismo britânica Thomas Cook, que detém 49,9% das suas ações, a Condor tem buscado ajuda do governo alemão para continuar operando. No dia 24, a empresa anunciou que receberá um empréstimo-ponte de 380 milhões de euros (R$ 1,7 bilhão) para mantê-la operando pelos próximos seis meses. Porém, o valor depende de uma auditoria realizada pela Comissão Européia que só então aprovará o repasse.


Embora afirme que suas rotas continuavam a ser operadas normalmente, a Condor decidiu suspender os voos para o Brasil. Em nota ao site Melhores Destinos, a companhia aérea alemã não explicou o motivo da saída do mercado brasileiro, embora tenha insinuado que não seriam lucrativas. Apesar disso, diz estar “continuamente monitorando sua rede de voos”, abrindo a possibilidade de retornar no futuro.

A Condor passou a voar para vários destinos no Brasil em 2016, incluindo o Rio de Janeiro e Salvador, mas permaneceu focada em Recife e Fortaleza nos últimos anos. A empresa chegou a fechar um acordo de code-share com a Azul para permitir que seus passageiros seguissem para outros destinos. No site da empresa, ainda é possível encontrar ofertas para Recife e Rio de Janeiro, mas que utilizam voos da Copa Airlines e que levam os clientes até Punta Cana, onde um A330 da Air Tanker faz a ligação com Frankfurt, uma epopeia de quase 30 horas.

Fundada em 1955, a Condor teve a Lufthansa como sócia e que cinco anos depois assumiu a companhia integralmente, inclusive aplicando uma pintura semelhante às suas aeronaves. Nos anos 2000, o grupo Thomas Cook passou a ser sócio da Condor e concluiu sua compra em 2009. No começo deste ano, a empresa britânica recebeu sondagens da Lufthansa que mostrou em interesse em recomprá-la. Com 53 aeronaves em sua frota, entre modelos A320, A321 e 757, a companhia alemã utiliza o widebody 767-300ER, em seus voos de longa distância incluindo até ontem os voos para o Brasil.

A Condor foi uma subsidiária integral da Lufthansa até os anos 2000 (Divulgação)

Veja também: Mais duas companhias aéreas sucumbem na Europa