Ethiopian Airlines: companhia foi pioneira em trazer o 787 para o Brasil (byeangel)

A localização estratégia do Oriente Médio tem feito das companhias aéreas da região fenômenos de crescimento no tráfego aéreo. Emirates e Qatar aproveitam o fato de estarem no meio do caminho entre a Ásia, Oceania e Américas para oferecer conexões vantajosas, além do serviço acima da média. Mas não são apenas elas que têm se tornado opções para os passageiros brasileiros. Também a Ethiopian Airlines e a Royal Air Maroc resolveram ampliar sua presença em nosso país.

Primeira companhia a voar para o Brasil com o novo Boeing 787, a Ethiopian passará a voar direto entre São Paulo (Guarulhos) e Adis Abeba, eliminando a escala no Togo – a parada no Rio de Janeiro já havia sido suprimida meses atrás – a partir de 15 de setembro. Com isso, o voo terá uma duração aproximada de 11h25 contra mais de 14 horas atualmente. A operação ganhará uma quinta frequência em novembro, facilitando o planejamento dos passageiros que de lá podem voar para a Europa e Ásia.

Em outubro será a vez da Royal Air Maroc, há décadas voando para o Brasil, ampliar sua malha para Casablanca. A companhia, no entanto, optou por separar o voo que hoje atende em conjunto São Paulo e Rio de Janeiro. A partir do dia 29 de outubro, cada cidade terá seu próprio voo.

A capital fluminense passará a contar com três voos semanais operados com o Boeing 767-300. Já São Paulo terá quatro voos por semana com o novo Boeing 787-8. Este ano, a companhia marroquina manteve três voos semanais apenas para São Paulo e outros dois para ambas as cidades. Próxima da Europa, Casablanca serve como um hub privilegiado para chegar a vários destinos no Velho Continente: são cercade 8 horas de voos até a mais famosa cidade do Marrocos.

Boeing 787 da Royal Air Maroc (RAM)

Veja também: LATAM inicia voo entre o Rio de Janeiro e Orlando