A Niki foi a segunda aventura do ex-piloto Niki Lauda na aviação comercial (Airbus)

A Niki foi a segundo empreendimento do ex-piloto Niki Lauda na aviação comercial (Airbus)

Entre tantas personalidades entusiastas da aviação, ninguém foi tão longe nessa área como o lendário piloto austríaco Niki Lauda. Tri-campeão da Fórmula 1 pelas escuderias Ferrari e McLaren, Lauda se tornou empresário do ramo aeronáutico ainda em seus últimos anos de carreira na F1 e fundou duas companhias aéreas, a Lauda Air e a Niki.

As duas empresas, no entanto, não existem mais, como é o caso recente da Niki, que encerrou suas atividades nesta quinta-feira (14). A companhia com bandeira da Áustria pertencia a Air Belin, da Alemanha, empresa que decretou falência em outubro deste ano.


Os ativos da Air Berlin, que inclui aeronaves, rotas, além de toda a operação da Niki, foram adquiridos pelo grupo Lufthansa. A empresa alemã, porém, decidiu encerrar as atividades das duas marcas.

Niki, a companhia aérea

A trajetória da Niki começou em 2003, quando Niki Lauda comprou a companhia Aero Lloyd Áustria e assumiu suas operações com a nova marca. A empresa operava rotas domésticas pela Áustria e voos internacionais pela Europa e norte da África. Outra importante atividade da companhia eram voos charter.

A parceria da Niki com a AirBerlin começou em 2004, com um acordo de cooperação. As empresa compartilhavam voos, canais de vendas e até aeronaves. A parceria com a empresa alemã rendeu a companhia de Niki Lauda se tornou afiliada da aliança Oneworld, permitindo combinar seus voos com os de empresas do mundo todo.


Niki Lauda, à direita, com executivos da Airbus e AirBelin (Airbus)

Niki Lauda, de boné a direita, com executivos da Airbus e AirBelin (Airbus)

O ex-piloto de F1 deixou a Niki em 2011, quando o controle da companhia foi totalmente transferido à AirBerlin. A partir do ano seguinte, as aeronaves começaram a ser repintadas com um novo padrão de pintura, mantendo a antiga marca somente no nariz dos aviões.

Uma das curiosidades da Niki era a tradição de sempre batizar suas aeronaves com nomes de ritmos musicais, como os jatos A320 “HipHop” e o A321 “Heavy Metal”. A empresa de Niki Lauda também voou com jatos da Embraer entre 2009 e 2015. Os aviões, modelos E190, foram batizados de “Samba” e “Lambada”.

A Niki voou com jatos Embraer E190, apelidados de "Samba" e "Lambada" (scott wright)

A Niki voou com jatos Embraer E190, apelidados de “Samba” e “Lambada” (Scott Wright)

As últimas aeronaves na frota da Niki, cerca de 30 exemplares, foram os jatos Airbus A320 e A321 e os Boeing 737-700 e 737-800.

Lauda Air

Depois de duas temporadas frustradas na F1 com a equipe Brabham, Niki Lauda anunciou sua primeira aposentadoria das pistas em 1979, mesmo ano em que fundou sua primeira companhia aérea, a Lauda Air. As atividades da empresa, contudo, foram iniciadas somente em 1985.

O Fokker F-27 foi um dos primeiros aviões da Lauda Air (Divulgação)

O Fokker F-27 foi um dos primeiros aviões da Lauda Air (Divulgação)

Em 1982, durante o processo de formação da companhia, Niki Lauda retornou à F1 para competir pela McLaren. Correndo com a equipe britânica, Lauda conquistou seu terceiro título, em 1984, e se aposentou definitivamente da categoria no ano seguinte.

A primeira atividade da Lauda Air foram voos charter e táxi-aéreo. As viagens eram realizadas com jatos BAC One Eleven. Em 1987, a companhia recebeu permissão para operar voos comerciais e três anos depois obteve a licença para voos internacionais.

Com as permissões para operar na aviação comercial, a Lauda Air montou uma variada frota de aeronaves. Viagens de curta e média distância eram realizadas com jatos Boeing 737 (das séries Original, Classic e Next Generation), Airbus A320 ou com turbo-hélices Fokker F-27. Em voos de longo curso a empresa utilizava os modelos Boeing 767 e 777.

Boeing 777-200 com as cores da Lauda Air; jato voava da Áustria até a Austrália (Montague Smithy)

Boeing 777-200 com as cores da Lauda Air; jato voava da Áustria até a Austrália (Montague Smithy)

A empresa de Niki Lauda criou uma importante malha de voos pela Europa a partir da Áustria, com destinos em importantes aeroportos de Portugal, Espanha, Itália, França, Inglaterra e até Islândia, país que serve de base de conexão para voos internacionais relativamente com destinos nos Estados Unidos.

A Lauda Air também foi a primeira companhia aérea da Áustria a operar voos de longa distância. Em 1989, a empresa lançou o voo de Viena para Sydney e Melbourne, na Austrália, com conexão e parada de reabastecimento em Bangkok, na Tailândia, ou Bali, na Indonésia. A companhia também operou em Hong Kong, Malásia,Vietnã, Dubai e Cuba.

O último avião com a marca Lauda Air voou em 2013 (Vlastné Dielo)

O último avião com a marca Lauda Air voou em 2013 (Vlastné Dielo)

No ano 2000, a companhia do tri-campeão da F1 foi adquirida pela Austrian Airlines, que passou a operá-la como uma subsidiária. Em 2005, toda a operação e identidade visual da Lauda Air na aviação comercial foi transferida para o controle da Austrian. Com essa mudança, a marca criada por Niki Lauda ficou restrita apenas nas aeronaves destinadas a operações de voos fretados.

Os voos charter da Lauda Air foram encerrados em 2012 e as aeronaves foram incorporadas pela Austrian Airlines.

Nota do editor: Niki Lauda ainda é embaixador da divisão de jatos executivos da Bombardier…

Veja mais: Embraer entrega 1.200º aeronave da série E-Jets