ATR 72-600 da Azul (Foto - Azul)

Os voos da Azul para Araraquara e Guarujá serão operados em turbo-hélices ATR 72-600 (Azul)

Cidades antes acostumadas a receberem somente aviões privados e raros voo fretados, Araraquara, no interior de São Paulo, e Guarujá, no litoral paulista, vão receber em breve voos comerciais regulares da companhia aérea Azul. Os novos destinos foram anunciados pelo governador João Doria e o secretário estadual de turismo, Vinicius Lummertz, na última quinta-feira (18), no Palácio dos Bandeirantes.

Os novos voos são a resposta da Azul ao programa “São Paulo Pra Todos” do Estado de SP, que reduziu o imposto da alíquota de ICMS cobrada sobre o querosene de aviação de 25% para 12%. Como contrapartida, as companhias aéreas estão oferecendo mais voos a partir de aeroportos paulistas.


“São Paulo é o maior emissor de turismo do Brasil e da América Latina”, afirmou o Doria. “Isso implica em aumento do fluxo de passageiros para o interior do Estado e também para outros destinos em todo o Brasil”, acrescentou.

Araraquara voltará ao cenário da aviação nacional recebendo um voo diário da Azul para a cidade de Campinas a partir do dia 1º de setembro.

Em relação ao Guarujá, o plano da companhia é lançar voos do litoral paulista para os aeroportos de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG) e Curitiba (PR). O início das operações, no entanto, ainda depende da conclusão de obras estruturais no aeroporto da baixada santista.

“É fundamental que o hub paulista cresça para aumentar a conectividade aérea do Brasil”, declarou o secretário estadual de turismo. “Nós precisamos fortalecer o hábito de voar. Quanto mais passageiros voarem, melhores tarifas nós teremos”, concluiu.


Os voos da Azul para Araraquara e Guarujá serão operados em aeronaves turbo-hélice ATR 72-600, com capacidade para até 70 passageiros. Com os novos voos, a companhia amplia de 10 para 12 o total de cidade atendidas no estado de São Paulo.

São Paulo Pra Todos

A despesa das empresas aéreas com combustível chega a até 40% de todo o custo operacional de cada voo. Com a redução do ICMS cobrado sobre o querosene de aviação, o governo de São Paulo pediu contrapartidas das companhias aéreas para aumentar o fluxo de pousos e decolagens dentro do Estado, principalmente em cidades que ainda não eram atendidas por linhas comerciais regulares.

Pelo acordo firmado em fevereiro, o setor aéreo se comprometeu a criar 70 novos voos e 490 partidas semanais, aumentando a oferta de destinos em todo o país. Ao todo, as novas frequências vão atingir aeroportos de 38 cidades em 21 estados. A desoneração tributária terá efeito a partir de 1º de junho e será compensada pelo impacto econômico gerado pelas contrapartidas.

Veja mais: Os aviões de combate mais perigosos… para seus pilotos