Entrar no compartimento do trem de pouso é fácil. Difícil é sair vivo: as temperaturas são congelantes e há pouco oxigênio (Foto - Airbus)

Entrar no compartimento do trem de pouso é fácil. Difícil é sair vivo: as temperaturas são congelantes e há pouco oxigênio (Foto – Airbus)

Um passageiro clandestino foi encontrado em estado crítico no trem de pouso de uma aeronave que pousou em Londres, na Inglaterra, nessa quinta-feira (18), informou a agência AFP. O avião da companhia aérea British Airways havia decolado de Johannesburgo, na África do Sul. Segundo a publicação, autoridade britânicas ainda suspeitam que um segundo imigrante ilegal pode ter caído sobre a cidade quando as rodas foram liberadas para o pouso.

A polícia não divulgou detalhes sobre o estado de saúde do clandestino que sobreviveu a viagem de cerca de 11 horas escondido no compartimento do trem de pouso. De acordo com a fonte, as autoridades estão investigando se o corpo de um homem no teto de um shopping de Londres no mesmo dia é de outro imigrante que viajava na mesma aeronave.



Segundo a polícia de Londres, o homem encontrado com vida tinha pouca proteção contra o frio, que pode chegar a 60 graus negativos nessa parte do avião, que não possui revestimentos térmico ou ar-condicionado. Em comunicado, as autoridades apenas disseram que o homem tem aproximadamente 24 anos e que “sua condição é considerada grave”.

A polícia londrina recebeu a chamada sobre o homem encontrado no avião às 8h28 e uma hora depois foi anunciada a descoberta do corpo no teto de um shopping, que está na rota de pouso e decolagem do aeroporto de Heathrow.

Viagens clandestinas

Em 2012, um homem de Moçambique caiu em uma rua do bairro londrino de Richmond, perto de Heathrow, de um avião que decolou de Angola.

A investigação concluiu que o homem sobreviveu às reduzidas temperaturas em grande parte do voo, mas que ao cair do avião estava praticamente morto.

Ocasionalmente, alguns passageiros clandestinos sobreviver, como no caso do indonésio que viajou escondido em um voo de uma hora entre Sumatra e Jacarta em abril deste ano.