Piaggio Avanti EVO

Na década de 1980, duas fabricantes de aviões conhecidas resolveram ousar e lançar turbo-hélices executivos de configuração “exótica”, mas apenas uma delas até hoje produz esse avião. Entre Beechcraft e Piaggio quem apostou na primeira errou. Enquanto a empresa americana amargou um enorme fracasso com seu revolucionário Starship, nascido para aposentar o clássico King Air, a companhia italiana conseguiu convencer seus clientes das vantagens do belo e ousado Avanti.

Apesar disso, no ano em que completa 100 anos de existência, a Piaggio tenta se reerguer de um período de dívidas, descrédito e dúvidas. Hoje parte do grupo de investimentos Mubadala, de Abu Dhabi, a fabricante participa da EBACE, maior feira de aviação executiva da Europa – que ocorre no Palexpo, centro de convenções de Genebra, na Suíça.



Em declaração à imprensa, Renato Vaghi, CEO da empresa, comemorou a nova fase com o anúncio da venda de quatro unidades do Avanti EVO, versão aprimorada do turbo-hélice: “Com o reforço finaceiro, pretendemos focar em aeronaves, alavancando nossa produção renovada e uma nova estratégia de comercialização para o P.180 Avanti EVO”, explicou aos jornalistas presentes.

O fundo Mubadala injetou 225 milhões de euros na empresa, ou quase R$ 1 bilhão para restruturá-la. A ideia é que a situação se estabilize no ano que vem e que o lucro retorne em 2021. Segundo Vaghi o foco será na venda de aeronaves – a Piaggio também atua no setor de defesa incluindo versões militares do Avanti para patrulhamento marítimo e até mesmo uma plataforma de pilotagem remota do avião executivo.

Desempenho de jato, custo de turbo-hélice

Agora a companhia pretende ampliar a produção para 20 unidades em 2018, 12 delas da versão EVO. Novidades estão prometidas para o segundo semestre, diz a empresa em seu comunicado. Desde 1986, a Piaggio produziu mais de 200 unidades do P.180 Avanti, projeto que utiliza motores na configuração “pusher”, ou seja, instalados com as hélices na parte traseira do motor. O aparelho também utiliza canards como seu então rival Starship, mas mantém os profundores na cauda em T. Sua aerodinâmica aprimorada tornou sua fuselagem bastante característica, sobretudo pela asa à meia altura.

Na versão EVO, a Piaggio ampliou sua velocidade de cruzeiro para 400 nós, o equivalente a 745 km/h, e o alcance IFR para 3.278 km. O principal argumento da empresa foi oferecer um desempenho semelhante ao de um jato com um custo 40% inferior.

Embora tenha sido fundada por Rinaldo Piaggio em 1884, a Piaggio somente se envolveu com a aviação em janeiro de 1918 quando adquiriu a OfficineAeronautiche Francesco Oneto, de Pisa.

Veja também: HondaJet ganha nova versão Elite

Beechcraft Starship: tão revolucionário quanto o Avanti, avião americano não vingou