O F-35B é a versão complexa da série, capaz de pousar e decolar como um helicóptero (Foto - US Navy)

O F-35B é a versão mais complexa da série, capaz de pousar e decolar na vertical (Divulgação)

Um caça Lockheed Martin F-35B Lightning II do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (Marines) caiu nesta sexta-feira (28) na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, Segundo a rede ABC News, o acidente aconteceu próximo a base aérea onde o avião ficava baseado, no município de Beafort.

De acordo com o comunicado oficial dos Marines, o piloto conseguiu ejetar a tempo e seu estado de saúde está sendo monitorado. O acidente com o caça avaliado em cerca de US$ 115,5 milhões aconteceu pouco antes do meio-dia a apenas 8 km da base aérea.



Ainda de acordo com os Marines, a queda do avião foi um “acidente Classe A”, classificação da corporação para incidentes graves envolvendo mais de US$ 2 milhões em danos ou a destruição total da aeronave.

O F-35B, como o modelo que caiu na Carolina do Sul, é a versão desenvolvida para realizar decolagens curtas e pousos verticais (STOVL), características necessárias parar operar em porta-aviões menores com rampas de lançamento (ski jump).

Esse foi o primeiro acidente com um F-35, que até então havia sofrido apenas incidentes de menor gravidade. A primeira versão do caça, o F-35A (de pousos e decolagens convencionais), voou pela primeira vez em dezembro de 2006. A série ainda inclui o F-35C, outra versão naval, mas direcionada para ser utilizada a partir de porta-aviões equipados com sistemas de catapulta.

Veja mais: Companhia “low-cost” dos EUA planeja voar para o Brasil