O primeiro voo do 777-9 deve acontecer somente no início de 2020

A Boeing anunciou neste sábado (7) que suspendeu os testes de carga estrutural com o novo 777X após um incidente. Na última semana, o jornal Seattle Times noticiou que uma porta da aeronave explodiu durante um ensaio estático de estresse de alta pressão na fuselagem. A fabricante não forneceu detalhes sobre o imprevisto.

“Durante os testes de carga final no avião de teste estático 777X, a equipe encontrou um problema que exigia a suspensão do teste”, disse o porta-voz da Boeing, Paul Bergman, em comunicado, acrescentando que o incidente não deixou vítimas e está sendo investigado pela companhia.


Nesse tipo de teste, os aviões são submetidos a grandes cargas e tensões que vão muito além das condições operacionais normais, explicou Bergman. A aprovação desses requisitos é necessária para a certificação da aeronave pelo FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos, e órgãos do setor em outros países.

Em julho, a Boeing postergou o primeiro voo do novo 777 (na versão -9) para o inicio de 2020 após encontrar problemas de durabilidade no motor GE9X da General Electric. Anteriormente, a fabricante planejava decolar com a aeronave até o final de 2019.

Outro revés no programa 777X foi a suspensão temporária do desenvolvimento do 777-8, versão de maior alcance da nova série. A fabricante tomou tal decisão para concentrar seus esforços no projeto do 777-9 e também para solucionar os problemas do 737 MAX, que permanece aterrado no mundo desde março após registrar dois acidentes fatais em cinco meses.

Veja mais: Emirates inicia aposentadoria de seus Airbus A380