(Boeing)

A Green Africa Airways é candidata a se tornar umas das maiores aéreas da África (Boeing)

Nunca antes na história da aviação uma companhia aérea da África encomendou tantos aviões de uma só vez. Essa empresa, que ainda nem iniciou seus voos comerciais, é a Green Africa Airways, sediada em Lagos, na Nigéria. A companhia anunciou nesta sexta-feira (21) um compromisso com a Boeing para até 100 aeronaves 737 MAX 8, divididas em 50 pedidos firmes e outras 50 opções de compra. O valor do acordo pode alcançar até US$ 11,7 bilhões.

“Hoje é um dia histórico para a indústria de aviação nigeriana e africana”, disse Babawande Afolabi, fundador e CEO da Green Africa Airways. “Este acordo histórico nos aproxima muito do nosso sonho de longa data de construir uma companhia aérea de classe mundial que liberte um novo campo de possibilidades positivas para milhões de clientes. Em linhas gerais, esse acordo é um símbolo ousado do dinamismo, resiliência e crescente movimentação empreendedora da próxima geração de nigerianos e africanos.”



A nova companhia aérea da Nigéria conta com um grupo de dirigentes de renome, como Tom Horton, ex-presidente da American Airlines, William Shaw, fundador e ex-CEO da VivaColombia, e Virasb Vahidi, ex-diretor de comunicação da American Airlines. O objetivo da nova empresa, segundo seus idealizadores, é oferecer viagens a preços acessíveis e “contribuir significativamente para o desenvolvimento econômico da Nigéria e do continente africado”.

“A Nigéria está singularmente posicionada para abrigar a próxima grande companhia aérea. A parceria estratégica com a Boeing posiciona a Green Africa Airways para expandir e melhorar as viagens aéreas para clientes na Nigéria e fortalece ainda mais a relação entre os Estados Unidos, Nigéria e África”, disse Vahidi.

O plano inicial da companhia prevê o desenvolvimento do mercado nigeriano e, em seguida, construir uma rede pelo continente africano. A Green Africa Airways, porém, ainda não definiu uma data para a estreia de seus voos – nem a Boeing divulgou quando os 737 MAX serão entregues à companhia.

“O potencial de crescimento das viagens aéreas na Nigéria e na África é extraordinário, com uma frota de aviões que deverá mais do que dobrar nos próximos 20 anos”, disse Ihssane Mounir, vice-presidente sênior de vendas e marketing da Boeing. “Esperamos que a Green Africa Airways construa sua frota com o 737 MAX e aproveite a eficiência e a confiabilidade do jato para abrir novas opções na Nigéria e no continente africano.”

De acordo com o estudo sobre perspectivas de mercado da Boeing, as companhias aéreas da África vão precisar de 1.190 novas aeronaves nos próximos 20 anos.

Veja mais: Ethiopian completa 5 anos no Brasil com 300 mil passageiros transportados