Cada jato 737 da BBJ custa em média US$ 80 milhões (Foto - Boeing)

Cada jato 737 da BBJ custa em média US$ 80 milhões (Foto – Boeing)

Jatinhos podem não ser suficientes para transportar executivos e seus assessores em viagens intercontinentais. Neste caso, é preciso uma aeronave maior, como as utilizadas por companhias aéreas, mas convertidas a um padrão mais luxuoso. Essa demanda se tornou tão grande que a Boeing até criou um divisão de jatos executivos, a BBJ (Boeing Business Jet).

A BBJ anunciou no festival de aviação Le Bourget, em Paris, nessa quarta-feira (17), ter vendido o primeiro Max 9, a nova geração geração da versão executiva do tradicional Boeing 737. Esse modelo leva apenas algumas dezenas de passageiros, enquanto a aeronave na configuração comercial, como a utilizada pela companhia aérea Gol, comporta quase 200 pessoas.


Segundo a Boeing, a cabine com 104 metros quadrados pode ser configurada e decorada de acordo com o gosto do cliente. O avião pode ter banheiros com chuveiros ou até dormitórios privados, além de salas de reunião e lounge com bar e cozinha.

Além do interior diferenciado, o Max 9 também vai estrear um novo conjunto de motores que será 14% mais eficiente em consumo de combustível que os usados na aeronave atual. O alcance da versão executiva também é muito superior: 11.700 km contra poucos mais de 5.000 km do 737 comercial.

Veja mais: Boeing lança versão executiva do 747

O primeiro voo do 737 Max 9 está programado para 2016 e as primeiras unidades devem ser entregues no início de 2017. Cada jato 737 executivo de nova geração da BBJ custa em média US$ 80 milhões.

Galeria de fotos: