Boeing e Embraer: gigante aeroespacial a caminho? (Montagem sobre imagens de divulgação)

Após recusar o projeto de transformar a Embraer em uma subsidiária da Boeing, negado sobretudo pela vontade do governo brasileiro em não ceder aos norte-americanos o controle da divisão Embraer Defesa & Segurança, a gigante dos EUA apresentou uma segunda proposta que parece ter agradado ao fabricante brasileiro e os políticos em Brasília.

No programa Dia a Dia da Economia, da Rádio CBN, a jornalista Miriam Leitão afirmou que a nova proposta da Boeing é a criação de uma terceira empresa envolvendo as divisões da Embraer que são de interesse dos americanos, exceto a parte de artigos militares, considerada estratégica pelo governo brasileiro.


Segundo a jornalista, essa nova empresa pode envolver o controle das divisões de aviação comercial e executiva da Embraer. Miriam ainda acrescentou que a Boeing tem planos de contar com a participação de equipes da fabricante brasileira no desenvolvimento de um novo avião – possivelmente o projeto NMA, já chamado pela mídia de “797”.

A primeira proposta oferecida pela Boeing, de comprar o controle da Embraer, exigiria que o governo brasileiro negociasse suas ações preferencias da empresa brasileira, as “golden shares”, ações que dão ao portador poder de decisão em negociações.

A negociação para a criação de uma forma de parceria entre a Boeing e Embraer foi motivada principalmente após a Airbus, em outubro de 2017, comprar os direitos do programa de jatos C Series, da canadense Bombardier e principal concorrente dos jatos regionais da fabricante brasileira.

Veja mais: Juntas, Boeing e Embraer podem criar super grupo aeroespacial