O "Air Force One" é equipado com sistema de defesa e blindagem contra radiação (Domínio Público)

O “Air Force One” é equipado com sistema de defesa e blindagem contra radiação (Domínio Público)

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) oficializou no final de janeiro a contratação da Boeing Company para iniciar o programa de desenvolvimento do novo “Air Force One”, o avião presidencial dos EUA. O primeiro contrato, avaliado em US$ 25,8 milhões, é uma apresentação detalhada do projeto e seus riscos. O novo modelo será baseado no Boeing 747-800, a versão mais moderna do Jumbo.

Os EUA contam atualmente com dois jatos Boeing 747-200B na função de transporte presedencial. As aeronoves, projetadas para voarem por 30 anos, entraram em operação em 1990 e no final desta década terão alcançado o final de seus ciclos. A previsão é de que os novos aparelhos sejam incorporados entre 2019 e 2021.



Segundo dados da USAF, o custo operacional do modelo atual é de US$ 210,8 mil por hora de voo. E a cada ano esse valor aumenta.

Nas primeiras pesquisas realizadas para a troca dos VC-25A (designação militar do Air Force One), a USAF citou a possibilidade de criar o novo avião presencial a partir de aeronaves com dois motores ou até baseado do Airbus A380. O quadrimotor da Boeing, porém, venceu a proposta.

“O avião presidencial é um dos símbolos mais visíveis dos EUA em casa e no exterior”, disse a porta-voz da USAF, Deborah Lee James, em comunicado oficial. “Vamos garantir que o próximo Air Force One atenda as capacidades necessárias estabelecidas para executar a missão de apoio presidencial, refletindo o escritório do presidente”, antecipou.

Como os modelos atuais, o novo Air Force One deverá operar por mais 30 anos. “A atual frota de aviões VC-25A tem trabalhado excepcionalmente bem “, disse Deborah. “No entanto, é hora de substituí-los. As fontes de peças estão se esgotando e isso aumenta os desafios e tempo de manutenção”, completou.

O Air Force One tem alcance de 13 mil km, quase meia volta ao mundo (Domínio Público)

O Air Force One tem alcance de 13 mil km, quase meia volta ao mundo (Domínio Público)

“Casa Branca voadora”

O Air Force One é muito mais do que um avião de transporte executivo de grande porte, o que por si só já é algo impressionante. O Jumbo que carrega o presidente Barack Obama possui equipamentos de comunicação via satélite e até sistemas de defesa contra mísseis e radares e blindagem contra radiação. Com tantos recursos, a aeronave é chamada de “Casa Branca voadora” e em casos de guerra pode ser o posto de comando do governo americano.

O 747 presidencial pode ser reabastecido em voo (USAF)

O 747 presidencial pode ser reabastecido em voo (USAF)

O 747 presidencial dos EUA possui uma aérea interna de 370 m². Há quartos, banheiros, cozinha, sala de reunião e a cabine privada do presidente. A aeronave pode transportar cerca de 100 passageiros e trabalha com 26 tripulantes. De acordo com a USAF, o Air Force One, tem alcance de 13.000 km, que ainda pode ser estendido com reabastecimento em voo – o modelo carrega 203 mil litros de combustível, o suficiente para dar meia volta ao mundo.

O termo “Air Force One” é utilizado por qualquer avião da USAF que transporta o presidente dos EUA. No entanto, é sempre lembrando como o nome da aeronave, que oficialmente é “VC-25A”. O código é utilizado na comunicação do aparelho com torres de controle e outros aviões.

Seguindo a mesma ordem, quando o presidente dos EUA viaja a bordo de aeronaves da Marinha, a mesma é chamada de “Marine Force One”, e em aparelhos do Exército o código “Army Force One”. O Air Force One sempre voa escoltado de caças armados.

Veja mais: Conheça os aviões de presidentes, reis e sheiks