O 737 MAX 8 da Gol é configurado para transportar até 186 passageiros (Gol)

A Boeing entregou quase 300 jatos da nova série 737 MAX, incluindo os primeiros modelos da Gol (Gol)

A Boeing fabricou aviões comerciais em um ritmo alucinante em 2018 e estabeleceu um novo recorde. Em balanço divulgado nesta terça-feira (8), a fabricante norte-americana confirmou a entrega de 806 aeronaves no ano passado, superando a marca anterior de 763 entregas registrada em 2017. A empresa também teve forte alta em sua carteira de pedidos com 893 aviões encomendados, sendo 203 unidades apenas no mês de dezembro.

“A Boeing elevou o padrão novamente em 2018, graças ao incrível foco de nossos colegas de equipe em atender aos compromissos dos clientes e melhorar continuamente a qualidade e a produtividade”, disse o presidente e CEO da Boeing Aviação Comercial, Kevin McAllister. “Em um ano dinâmico, nossa produção e nossos fornecedores parceiros nos ajudaram a construir e entregar mais aeronaves do que nunca para estarmos alinhados à forte demanda global por viagens aéreas.”


Avião mais popular da Boeing, o 737 respondeu por 580 entregas em 2018, com quase metade do volume já representado pelos novos modelos da família MAX, incluindo os primeiros 737 MAX 9. A nova geração do 737 soma mais de 5.000 unidades encomendadas, o suficiente para manter a produção da aeronave por sete anos. São tantos pedidos que a fabricante precisou aumentar em meados de 2018 a produção do modelo para 52 aviões por mês.

O segundo avião comercial mais entregue pela Boeing no ano passado foi o 787 Dreamliner, com 145 unidades despachadas. O 787 é atualmente o jato de corredor duplo com a maior taxa de produção da indústria aeronáutica. O jato de longo alcance soma 1.400 pedidos desde o lançamento do programa em 2007.

Em seguida aparece o 777 com 48 exemplares entregues, impulsionado principalmente por encomendas de empresas cargueiras. Com vendas adicionais em dezembro, o programa 777 ultrapassou 2.000 pedidos desde o seu lançamento. É esperado que o volume de entregas e encomendas do “Triple Seven” aumente nos próximos anos com a introdução do novo 777X, programa para estrear na aviação comercial em 2020.


As entregas de 47 jatos 767 e outros 6 modelos 747-8 completaram o total de 806 aviões para o ano. As entregas do 767 incluem a transferência de 10 aeronaves 767-2C para a Boeing Defesa, Espaço & Segurança para o programa da aeronave de reabastecimento aéreo KC-46 Pegasus da Força Aérea dos Estados Unidos.

“Em termos mais gerais, tivemos mais um ano de encomendas saudáveis de jatos, sustentando a nossa previsão de longo prazo para uma demanda global robusta que verá a frota de aviões comerciais dobrar em 20 anos”, disse Ihssane Mounir, vice-presidente sênior de vendas comerciais e marketing da Boeing.

Veja mais: Sem novos operadores, dois Airbus A380 serão sucateados na França