(Divulgação)

O 747 será posicionado a cerca de 70 metros de profundidade (Divulgação)

O governo do Bahrein anunciou a construção de uma atração turística que pode ser muito interessante para mergulhares e entusiastas da aviação: o maior parque submerso do mundo com direto a um Boeing 747 em exposição debaixo d’água. A novidade está prevista para ser aberta até o final deste ano ano.

O parque submerso terá uma área total de 100.000 metros quadrados e o 747 ficará posicionado a cerca de 70 metros de profundidade. Essa será a maior aeronave já submersa com esse propósito. Segundo a organização da atração, gerida pelo governo do Bahrein, o local está sendo construído em parceria com o setor privado, empresas de mergulho locais e clubes.


O presidente do conselho do meio ambiente do Bahrein, Xeque Abdullah bin Hamad Al Khalifa, acrescentou que o parque também incluirá uma “réplica de uma casa tradicional de comerciantes de pérolas do Bahrein, recifes artificiais e outras esculturas fabricadas com materiais ecológicos” para incentivar o crescimento da vida marinha no local.

O pequeno país no Oriente Médio com grandes reservas de petróleo tem como uma de suas principais metas se tornar referência mundial no campo do ecoturismo e na preservação da fauna marinha. O Bahrein, apesar de ainda ter uma série de restrições, é considerado um dos países árabes mais receptivos com turistas.

“Museu” de aviões submerso no Pacífico

Uma atração como a que será criada no Bahrein já existe no Oceano Pacífico e não cobra entrada de mergulhadores, sem falar na vasta coleção de aeronaves em exposição submarina…

No final da Segunda Guerra Mundial, em 1945, a marinha dos Estados Unidos não tinha espaço suficiente em seus navios para levar de volta para casa todo o material enviado para o combate contra o Japão. A solução foi lançar parte da frota de aeronaves no mar, no atol de Kwajalein, próximo às Ilhas Marshall.

O bombardeiro B-25 Mitchell também voou na FAB

Um bombardeiro B-25 abandonado submerso no atol de Kwajalein

O local guarda até hoje a cerca de 40 metros de profundidade um total 150 aeronaves militares dos tempos da guerra no Pacífico, como caças e diferentes modelos de bombardeiros dos EUA.

Veja mais: O museu que virou cemitério de aviões