O 737 MAX 8 tem capacidade para transportar até 175 passageiros (Boeing)

O jatos da série 737 MAX estão aterrados no mundo todo desde março (Boeing)

Durante um encontro internacional de regulares de segurança aérea promovido nesta quinta-feira (23) em Washington, o diretor da Administração Federal de Aviação (FAA), Dan Elwell, deixou claro que sua agência será a primeira a liberar o Boeing 737 MAX do aterramento, em vigor no mundo todo desde março. Embora ele tenha evitado especificar um cronograma, seus comentários sugeriram que tal liberação poderia ocorrer até o final de junho, apontou o jornal Seattle Times.

“Quando chegarmos ao ponto em que podemos levantar esse pedido, faremos isso sozinhos”, disse Elwell, explicando que, como os EUA certificaram o projeto original, o FAA deve ser o primeiro a certificar a correção do software da Boeing para a aeronave. O mal funcionamento do sistema MCAS (Sistema de Aumento de Características de Manobra) é apontado como a principal causa nos acidentes com os jatos 737 MAX 8 da Lion Air e da Ethiopian Airlines.


Agências de outros países tomarão suas próprias decisões depois de analisar os dados da FAA, disse o diretor da agência norte-americana. “Outros países já decidiram que não apenas revisarão nosso trabalho, mas também outras coisas de interesses para eles”, acrescentou Elwell.

As relações entre o FAA e algumas agências estrangeiras ficaram conturbadas após os dois acidentes com o 737 MAX em menos de cinco meses. A lentidão do FAA em ordenar a paralisação da aeronave e o rigor nos processos de certificação da agência dos EUA vem sendo questionados nos últimos meses.

“Haverá algum tipo de atraso”, disse o diretor do FAA. “Todo país tem seu próprio processo. Eles nunca aceitam cegamente o que fazemos.”

Nicholas Robinson, diretor-geral da agência de aviação civil do Canadá, a Transport Canada, disse em uma teleconferência na noite de quinta-feira que sua agência já está trabalhando em sua própria revisão das mudanças no design do MAX, mas não tem prazo para a conclusão. Ele disse que a agência ainda está aguardando algumas informações da Boeing e da FAA.


“Acabaremos quando nos sentirmos confortáveis”, disse Robinson, sobre a liberação do 737 MAX no Canadá. O diretor da agência canadense ainda acrescentou que o país poderá exigir treinamentos em simuladores de voo para os pilotos se habituarem às alterações efetuadas na aeronave.

A promoção "VAIEVOTA" é válida para todos os voos operados pela Gol (Divulgação)

A Gol é o único operador do 737 MAX no Brasil; a empresa tem atualmente sete aeronaves aterradas (Gol)

Perguntado sobre quando a liberação do 737 MAX poderia receber o sinal verde, o diretor do FAA respondeu que “a segurança do 737 MAX é meu único objetivo”. Elwell ainda acrescentou que um processo desse tipo “deve levar de três a quatro semanas”.

A Boeing deve apresentar a correção final do software MCAS dentro de alguns dias. O fabricante comunicou na semana passada que concluiu e testou o sistema atualizado e que o próximo passo seriam os voos de certificação acompanhados por técnicos do FAA.

Operadores do MAX nos EUA, como as companhias American Airlines e Southwest, ainda vão precisar de algum tempo para instalar as modificações em seus aeronaves e treinar seus tripulantes antes de colocarem a aeronave de volta ao serviço, o que por sua vez deve ocorrer no final de agosto.

Elwell, porém, advertiu que, se os especialistas do FAA encontrarem problemas nas correções da Boeing, isso poderá causar mais atrasos. “O público pode confiar que a FAA não permitirá que o 737 MAX voe novamente nos EUA até que seja seguro fazê-lo”.

“A aviação ainda é o meio de transporte mais seguro do planeta”, disse Elwell. “Uma vez que o 737 MAX esteja voando com segurança novamente, pode levar algum tempo, mas acho que o público ficará confortável.”

Veja mais: Terá chegado o momento da Boeing aposentar o 737?