A Ryanair é um dos principais clientes do 737 MAX, com 135 unidades encomendadas (Divulgação)

Um jato 737 MAX com as cores da companhia aérea low-cost Ryanair foi flagrado pelo grupo de spotters Woodys Aeroimages na fábrica da Boeing em Renton, nos Estados Unidos, com um nome diferente estampado no nariz: “737-8200”. O modelo é um 737 MAX 200, versão baseada no MAX 8 com capacidade para 200 passageiros desenvolvida especialmente para a empresa irlandesa.

O surgimento do avião com outro nome alimenta ainda mais as especulações de que companhias aéreas e a própria Boeing devem abandonar a designação MAX, cuja imagem está manchada por conta dos dois acidentes fatais recentes e que levaram a paralisação mundial da aeronave, em vigor desde março.


A Ryanair é um dos maiores clientes do 737 MAX, com 135 unidades encomendadas. As entregas dos primeiros cinco aparelhos da companhia são programadas para o último trimestre de 2019. O avião da Boeing, porém, ainda precisa ser liberado pelas autoridades de aviação do mundo todo para retornar ao serviço comercial, o que deve ocorrer somente no final deste ano.

O nome escolhido pela Ryanair não é exatamente novo. A designação 737-8200 aparece em documentos da EASA, a agência de aviação civil da Europa, desde 2015, bem antes da introdução da aeronave no mercado. O 737 MAX estreou na aviação comercial em maio de 2017 com a companhia Malindo Air, da Malásia.

A estratégia da Ryanair é semelhante a uma ação da Gol, que rebatizou o 737 MAX 8 e passou a chamá-lo de “737-8”. Esse nome, por sua vez, já aparecia em manuais do FAA, a agência reguladora de aviação civil dos EUA.

Veja mais: Airbus A380 estreia na Venezuela