O Boeing 737 número 10.000: apenas 12 anos para repetir feito de 2006 (Boeing)

Um marco para a aviação comercial foi atingido nesta terça-feira (13) em Renton, no estado de Washington (EUA). A Boeing finalizou oficialmente o 737 de número 10.000, recorde que foi reconhecido pelo conhecido Guinness World Records com a entrega de um certificado e uma placa comemorativa.

A aeronave, um 737 MAX 8, será entregue nas próximas semanas para a companhia Southwest Airlines, não por acaso a maior operadora do 737 no mundo com 707 unidades ativas de mais de 1,1 mil aeronaves que já passaram por sua frota.



“Este marco incrível é um testemunho do trabalho que fazemos todos os dias para construir o avião de corredor único mais confiável e eficiente do mundo”, disse o presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes, Kevin McAllister. “A velocidade com que a Boeing alcançou esse novo marco é muito impressionante”, disse Michael Empric, responsável por entregar a placa do Guinness à fabricante.

O 737 já havia entrado para o livro dos recordes em 2006 ao atingir a marca de 5 mil unidades produzidas, o que denota como a demanda pelo birreator cresceu nos últimos anos. Foram precisos apenas 12 anos contra 37 anos da primeira metade para igualar o mesmo número de exemplares fabricados.

E a meta de atingir 15 mil unidades parece que será ainda mais veloz: já existem pedidos para mais 4,6 mil 737 MAX e a Boeing planeja produzir nada menos que 52 jatos por mês ante 47 atualmente. Ou seja, é melhor convidar o pessoal do Guinness para dar uma passadinha em Renton em 2025.

Conheça alguns fatos a respeito do 737:

  • Um 737 decola ou pousa a cada 1,5 segundo
  • Em média, mais de 2.800 737 estão no ar a qualquer momento
  • Mais de 22 bilhões de pessoas já embarcaram num 737
  • O 737 já voou quase 200 bilhões de quilômetros, o equivalente a 5 milhões de vezes em torno da Terra.

Veja também: Esquadrilha da Fumaça recebe certificado do Guinness Book