Airbus A330neo da Azul: companhias aéreas brasileiras estão investindo em rotas internacionais (Airbus)

A Azul ainda não recebeu o primeiro A330-900neo, novo widebody que será operado pela companhia, mas as rotas de estreia já estão definidas, conforme informação publicada pelo site RoutesOnline.

A estreia do jato da Airbus ocorrerá no dia 15 de dezembro no voo Viracopos-Orlando com cinco partidas semanais que passarão a seis em fevereiro do ano que vem. Menos de uma semana depois, no dia 21 de dezembro, o A330neo assumirá o voo Campinas-Lisboa duas vezes por semana mas que deve chegar a seis frequências semanais em 02 de fevereiro de 2019. Por fim, o birreator voará uma vez por semana para Fort Lauderdale a partir de 18 de janeiro, com uma breve interrupção entre 04 de fevereiro e 03 de março, quando será usado em três dos voos semanais para a cidade da Flórida.


Além de mais modernos e eficientes (sem falar no fato de serem configurados desde o início para a Azul), os A330-900neo ampliarão a oferta de assentos em relação aos A330-200 utilizados hoje. Serão 302 lugares contra 271, aumento sobretudo na classe econômica que pulará de 151 para 168 assentos. A executiva praticamente dobrará de tamanho indo de 20 para 38 lugares. Já a econômica “Xtra” encolherá um pouco, de 100 para 96 poltronas.

Primeiros na América Latina

A Azul deve receber o primeiro de cinco unidades do A330-900neo no final deste ano. O primeiro exemplar está em fase final de montagem na fábrica da Airbus em Toulouse, na França. Eles foram alugados da empresa Avalon, especializada em leasing e foram a solução encontrada pela companhia brasileira após desistir de incorporar o irmão mais novo, A350. Depois de anunciar a encomenda do birreator avançado em 2014, a Azul mudou os planos no início de 2017 quando uma unidade já havia recebido parcialmente a pintura.

A opção pelo A330neo veio num período muito próximo em que a TAP, hoje parceira da Azul, também anunciou o uso do aparelho, uma versão modernizada da aeronave original. Mais barato (US$ 296,4 milhões contra US$ 317,4 milhões), o A330 é 14% mais econômico que seu antecessor graças a uma nova asa de maior envergadura e motores mais eficientes.

Veja também: A330neo inicia turnê mundial com escala no Brasil