A Azul vai servir cerveja em voos realizados entre às 17h00 e 21h00 (Azul)

Todas as aeronaves da Azul contam com o novo rastreador (Azul)

A Azul agora pode acompanhar a posição exata de todas as suas aeronaves em voo. A companhia brasileira é a primeira das Américas a adotar um sistema de rastreamento desse tipo, que por meio de satélites e bases em solo registra a localização dos aviões a cada minuto e armazena os dados.

O novo sistema de rastreamento usado pela Azul, o software Aircom FlightTracker, foi fornecido pela Sitaonair, uma subsidiária do grupo SITA, especializado no desenvolvimento de soluções em TI para o transporte aéreo. A companhia já utilizava uma versão anterior do rastreador que apontava a posição das aeronaves em intervalos maiores.


Com o sistema atualizado, a Azul excede o padrão de 15 minutos recomendado da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) ao receber relatórios de posição das aeronaves com uma frequência de pelo menos uma vez por minuto.

O novo recurso está funcionando na frota de jatos A320 e A330 da Azul, Embraer E190 e E190 e no turbo-hélice ATR 72-600. A atualização dos rastreadores nas aeronaves foi concluída em novembro de 2018, antes da divulgação da nova recomendação da ICAO.

Como explica o desenvolvedor, o sistema “dá à companhia aérea um conhecimento aprimorado da precisa localização, velocidade e altitude de suas aeronaves em voo, em qualquer lugar do mundo”. A empresa ainda acrescenta que a cobertura do rastreamento de voos pode ser realizado em tempo real mesmo nos pontos mais distantes do globo, incluindo áreas oceânicas e regiões remotas, e não exige modificações na aeronave.

O rastreador utiliza dados fornecidos por meio do Space Based ADS-B (Automatic Dependent Surveillance-Broadcast) da AireonSM para o FlightAware

A Sitaonair afirma que o rastreador aponta a posição da aeronave em qualquer parte do globo (Divulgação)

“Desde a fundação da Azul em 2008, as aplicações Aircom da Sitaonair foram a nossa primeira escolha para reforçar as operações de segurança de nossas companhias aéreas. Ao atualizar para a mais nova versão podemos rastrear toda a nossa frota de forma aprimorada, fornecendo precisão operacional e seguindo as melhores práticas recomendadas pela ICAO”, afirmou Carlos Pellegrino, diretor do centro de controle operacional da Azul.

Rastreadores de aeronaves mais avançados se tornaram um dos principais temas de segurança na aviação nos últimos anos após o misterioso desaparecimento do voo MH370 da companhia Malaysia Airlines. A aeronave da empresa malaia, um Boeing 777-300 com 239 ocupantes a bordo, desapareceu no Oceano Índico em 8 de março de 2015 sem deixar rastros.

Veja mais: Após acidentes com 737 MAX, Gol rebatiza avião de 737-8