O protótipo N9MB que se acidentou nesta segunda-feira: sem resquícios da sua existência (USAF)

Um momento triste para a história da aviação aconteceu nesta segunda-feira (22) nos Estados Unidos. O único dos quatro protótipos de uma asa voadora construída por Jack Northrop, fundador da empresa que leva seu nome (hoje unida a Grumman), foi perdido num acidente próximo ao aeroporto de Chino, na Califórnia.

Construído em 1944 para testar os conceitos de voo de uma asa voadora – e que serviu para ajudar no desenvolvimento do bombardeiro XB-35 e indiretamente também ao avião stealth B-2 – o protótipo N9MB fazia parte do acervo do museu aéreo “Planes of Fame” (Aviões Famosos) que o mantinha em condições de voo há vários anos.


A pequena asa voadora com dois motores “pusher” (voltados para trás) e 18 metros de envergadura iria participar de um show aéreo promovido pelo museu no início de maio.

Segundo testemunhas, o avião teria se inclinado para a esquerda e depois para a direita antes de entrar num mergulho irrecuperável. A aeronave caiu na área de uma prisão, pegando fogo em seguida. O piloto, cuja identidade não foi revelada, não sobreviveu.

O XB-35, primeiro bombardeiro de asa voadora da Northrop (USAF)

Sistema de controle de voo complexo

Defensor do conceito de asa voadora, Jack Northrop buscou aperfeiçoar a ideia desde a década de 1930 com protótipos rudimentares, um deles equipado com uma cauda convencional. Mas quando finalmente teve sinal verde do governo norte-americano para desenvolver o imenso B-35 (e posteriormente sua versão a jato, o YB-49), Northrop precisou testar sua ideia em um avião com um terço do tamanho do bombardeiro.


O primeiro N9M surgiu em 1942 com essa missão e logo foi preciso ampliar a frota à medida que os testes demonstravam a complexidade de se controlar um avião sem estabilizadores. Em vez disso, a asa voadora utiliza ailerons divididos que se abrem para cima e para baixo e com isso é possível controlar sua guinada.

Embora tivesse uma aerodinâmica primorosa, a asa voadora de Northrop sofria com a dificuldade de ser controlada numa época em que ainda não existiam sistemas eletrônicos avançados.

Finalmente na década de 80, a Northrop conseguiu realizar o sonho de seu criador (morto em 1981) ao produzir o bombardeiro stealth B-2 Spirit, com os ensinamentos obtidos com o N9M.

Resgatado dos escombros

Quando o governo dos EUA cancelou o projeto XB-35/YB-35, dois dos três N9M restantes (o primeiro se perdeu num acidente) foram desmontados enquanto o modelo mais novo, o N9MB, ficou abandonado até ser comprado por Ed Maloney, fundador do museu, na década de 1950.

Após ficar estocado por décadas, Maloney conseguiu viabilizar sua restauração nos anos 80 e o N9MB voltou a voar em 1993. Com sua pintura amarela (os protótipos tinham cores berrantes diferentes), a asa voadora virou uma das principais atrações nos shows aéreos promovidos pelo museu californiano.

A perda de um avião tão importante para a aviação faz refletir se itens tão raros como o N9MB deveriam ser mantidos em voo. É sem dúvida fabuloso ver um projeto tão especial como a asa voadora da Northrop em voo, mas triste constatar que agora nunca mais teremos mais como admirá-la.

O B-2 com seus ailerons divididos abertos: sonho de Jack Northrop realizado (USAF)

Veja também: Novo bombardeiro invisível dos EUA será chamado de B-21 Raider