Incidentes com turbulências custam às companhias aéreas cerca de US$ 100 milhões ao ano (wikimedia)

Incidentes com turbulências custam às companhias aéreas cerca de US$ 100 milhões ao ano (Wikimedia)

A Gogo, provedora de internet wi-fi, se uniu a The Weather Company, empresa de monitoramento climático da IBM, para desenvolver um sistema de alerta antecipado sobre turbulência para a aviação, o Turbulence Auto PIREP System (TAPS – Sistema de Alerta Automático sobre Reportes Climáticos).

Segundo a Gogo, o TAPS utiliza diversas fontes de dados, obtidos por satélites, torres de controle e até reportes automáticos das próprias aeronaves. Com essas informações combinadas e retransmitidas por satélite, os pilotos terão acesso em tempo real a informações sobre as condições climáticas no decorrer de suas rotas, podendo desviar de turbulências com antecedência.


Segundo comunicado sobre a parceria, a tecnologia será introduzida primeiramente em aeronaves particulares e, posteriormente, será oferecida a aeronaves comerciais. A implementação do TAPS requer a instalação de antenas especiais nos aviões, de receptação via satélite – como as que a companhia Gol está instalando em seus aviões, também fornecidas pela Gogo Inflight Internet.

“É um grande exemplo da Internet em ação, onde estamos a todo momento recolhendo rapidamente grandes quantidades de dados e, em seguida, usando esse conhecimento para fornecer orientações”, contou Mark Gildersleeve, presidente da The Weather Company.

Tradicionalmente, as tripulações recebem informações climáticas por meio de reportes de torres de controle. Além disso, jatos comerciais possuem o radar meteorológico, também capazes de encontrar zonas de turbulência, embora com alcance limitado. Como a explica a empresa, com a tecnologia via satélite, informações sobre o clima serão enviadas diretamente para uma tela no cockpit das aeronaves.

Os prejuízos da turbulência

Segundo o site oficial da The Weather Company, incidentes com turbulência geram aproximadamente US$ 100 milhões em prejuízos para a aviação todos os anos. A conta inclui assistência a passageiros e tripulantes feridos, necessidade de manutenção não programada na aeronave, ineficiências operacionais e faturamento perdido enquanto o avião fica fora de serviço.

A empresa também afirma que turbulências são responsáveis pela maior parte de acidentes não-fatais com passageiros na aviação comercial. Com a aplicação do TAPS, a divisão da IBM calcula que será possível reduzir em até 50% os incidentes e custos causados por turbulências.

Veja mais: Voando na chuva