O Airbus E-Fan, com motorização elétrica, pode atingir até 220 km/h e voar por 60 minutos (Foto - Airbus)

O Airbus E-Fan, com motorização elétrica, pode atingir até 220 km/h e voar por 60 minutos (Foto – Airbus)

A Airbus escolheu uma clássica rota aérea para realizar uma demonstração do E-Fan, aeronave com motorização elétrica. O avião ecológico cruzou nesta sexta-feira (10) o Canal da Mancha e repetiu o épico voo do aviador francês Louis Blériot, que atravessou o canal marítimo pela primeira vez com uma máquina voadora (o rudimentar avião “Blériot XI”) em 1909.

A Airbus, no entanto, “bobeou” e perdeu o pioneirismo do voo elétrico sobre o Canal da Mancha por apenas um dia. Na quinta-feira (9) a aeronave elétrica “Colomban Cri Cri” do construtor amador francês Michel Coloban realizou com sucesso o mesmo trajeto.


Assim como o “Cri Cri” e o Blériot XI, o E-Fan decolou de Lydd, na Inglaterra, e pousou em Calais, na França. De acordo com a Airbus, a viagem de 74 km foi realizada em 36 minutos e todos os procedimentos do voo foram realizados com sucesso. A aeronave foi conduzida pelo piloto francês Didier Esteyne, que também é o chefe de desenvolvimento do aparelho.

Voo elétrico

O avião elétrico da Airbus ainda é um protótipo, mas o projeto está próximo de ser concluído. Com mais de 100 voos realizados, a fabricante deverá iniciar a produção da aeronave a partir de 2017. Quem vai comprar? O plano da empresa é oferecer o E-Fan a escolas de formação de pilotos e também usuários privados.

Veja mais: Nasa prepara aeronave para explorar Marte

Airbus E-Fan completa o primeiro voo sobre o Canal da Mancha

O E-Fan é construído basicamente com fibra de carbono, o que o torna muito leve e ao mesmo tempo resistente. De acordo com a Airbus, o protótipo em fase de testes pesa cerca de 600 kg e está configurado para carregar duas pessoas, ambos com controles. O avião é impulsionado por dois “fans” elétricos, cada capaz de gerar até 40 hp.

O E-Fan cruzou os 76 km do Canal da Mancha em 36 minutos. O Blériot XI, em 1909, foi um minuto mais rápido (Foto - Airbus)

O E-Fan cruzou os 76 km do Canal da Mancha em 36 minutos. O Blériot XI, em 1909, foi um minuto mais rápido (Foto – Airbus)

A aeronave elétrica atinge a velocidade máxima de 220 km/h e no voo de cruzeiro estabiliza em 160 km/h. Pode alcançar até 1.000 metros de altitude e a autonomia é de 60 minutos. A energia do E-Fan vem de um conjunto de baterias de lítio, posicionado logo atrás do cockpit. Já a recarga pode ser realizada em pontos elétricos convencionais ou com ajuda de equipamentos especiais que aceleram o processo.

A Airbus ainda tem planos de desenvolver uma versão do E-Fan para até quatro passageiros, além de uma versão “híbrida” com alcance estendido, equipada com um motor a combustão auxiliar.

Após 106 anos do primeiro voo sobre o Canal da Mancha, a aviação entra em uma nova era de descobertas (imagem - Airbus)

Após 106 anos do primeiro voo sobre o Canal da Mancha, a aviação entra em uma nova era de descobertas (imagem – Airbus)

Blériot

Louis Blériot foi um dos pioneiros da aviação e por pouco não voou primeiro que o brasileiro Santos Dumont, com quem mantinha uma próxima amizade. Um de seus maiores feitos foi cruzar o Canal da Mancha pela primeira vez com uma aeronave, o Blériot XI, em 25 de julho de 1909. Esse modelo também foi o primeiro avião produzido em série e deu início à industria aeronáutica francesa. A empresa de Blériot era baseada em Suresnes, no mesmo local onde parte da equipe de desenvolvimento do E-Fan está instalada.

O E-Fan perdeu a "corrida elétrica" para o Colomban Cri Cri, do projetista francês amador Michel Colomban (Foto - Michel Colomban)

O E-Fan perdeu a “corrida elétrica” para o Colomban Cri Cri, do projetista francês amador Michel Colomban (Foto – Michel Colomban)

Construído com madeira, cabos e tecido, o Blériot XI foi o primeiro avião a cruzar o Canal da Mancha (Foto - Domínio Público)

Construído com madeira, cabos e tecido, o Blériot XI foi o primeiro avião a cruzar o Canal da Mancha (Foto – Domínio Público)