A Avianca terá de devolver 10 A320 como o da foto nos próximos dias

O drama vivido pela companhia aérea Avianca Brasil ganhou capítulos mais graves nas últimas horas. A companhia, que precisou entrar com um pedido de recuperação judicial em dezembro, tem buscado evitar que seus credores retomem aviões alugados para impedir cancelamentos de voos, mas tudo leva a crer que essa negociação não deu frutos.

Nesta quinta-feira, a empresa confirmou que encerrará seus principais voos internacionais de São Paulo para Nova York, Miami e Santiago do Chile em 31 de março e que devolverá quatro dos cinco Airbus A330-200 arrendados e usados nessas rotas. A investida no exterior era algo recente na empresa, que anunciou seus primeiros voos em meados de 2017. Há menos de um ano, a companhia decidiu lançar uma segunda frequência diária para Miami, dando a entender que os voos possuíam uma boa aceitação.


Apenas os voos entre Fortaleza e Salvador para Bogotá continuarão ativos, mas com aviões da Avianca Colombia que, embora pertencente ao mesmo grupo, não tem ligação direta com a empresa brasileira.

A pior notícia, no entanto, foi revelada no final do dia pela ANAC. Segundo a agência de aviação civil, 10 Airbus A320 (a maior parte deles do modelo Neo) pertencentes à empresa de leasing GECAS perderão o registro brasileiro, o que impede que sejam usados pela Avianca. O prazo para que isso ocorra é o dia 24 de janeiro quando então eles serão devolvidos ao arrendador. Porém, no dia seguinte, a Avianca conseguiu entrar em acordo com a GECAS e manter os 10 aviões em sua frota.

A Avianca Brasil agora opera o A330 em versões de passageiros e carga (Avianca)

A Avianca Brasil havia recebido seus A330 pouco tempo atrás (Avianca)

Com isso, a Avianca Brasil poderia perder nada menos que 14 de 51 aviões, ou quase um terço da sua frota. A empresa devolverá outros três A320 nos próximos dias, dois dos quais serão repassados para a concorrente Azul.

Até então, a companhia aérea brasileira havia conseguido evitar muitos cancelamentos de voos, e mesmo aeronaves que estavam desativadas passaram a ser usadas com mais frequência como os Airbus A318 que ainda ostentam a pintura antiga da companhia.


A situação financeira da companhia aérea é bastante grave. Por estimativas de mercado, a Avianca teria dívidas de quase 500 milhões de reais.

Atualizado às 11h00 do dia 19/01/2019.

Airbus A318 da Avianca: antes usado em rotas secundárias, jato está mais ativo na companhia

Veja mais: Novo Boeing 737 MAX 200 completa primeiro voo