Conceito de eVTOL da Karem Aircraft para a Uber (Divulgação)

A Austrália será o primeiro mercado internacional da Uber Air. A companhia norte-americana confirmou nesta terça-feira (11) que Melbourne se unirá a Dallas e Los Angeles, nos Estados Unidos, como “cidades-piloto” para o projeto de transporte aéreo urbano, com voos de teste previstos para 2020 e planos de começar as operações comerciais a partir de 2023.

Melbourne era uma das seis cidades finalistas para ser o primeiro mercado estrangeiro da Uber Air. As outras eram Tóquio, Osaka, Nova Déli, Paris e o Rio de Janeiro.


Susan Anderson, gerente geral regional para Uber na Austrália, Nova Zelândia e Norte da Ásia fez o anúncio durante o encontro Uber Elevate 2019, em Washington, e disse: “O governo da Austrália adotou uma abordagem para o futuro voltada para o compartilhamento de viagens e a futura tecnologia de transporte. Isso, juntamente com os fatores demográficos e geoespaciais únicos e a cultura de inovação e tecnologia, fazem de Melbourne a cidade perfeita para o lançamento da Uber Air.”

Pioneira no mercado de viagens compartilhadas de carro, a Uber quer levar esse mesmo conceito para os céus com os eVTOL, veículos elétricos de pouso e decolagem vertical. Não só isso, progressivamente as aeronaves serão convertidas para voarem de forma autônoma. O projeto também exige a elaboração de novos regulamentos de tráfego aéreo e a criação da infraestrutura com estações de apoio para as operações.

“À medida que as grandes cidades crescem, a forte dependência da propriedade de carros particulares não será sustentável. A Uber Air possui um enorme potencial para ajudar a reduzir o congestionamento rodoviário. Por exemplo, a jornada de 19 quilômetros do centro da cidade para o aeroporto de Melbourne pode levar de 25 minutos a cerca de uma hora de carro em horário de pico, mas com o Uber Air isso levará cerca de 10 minutos”, prevê Eric Allison, diretor global da Uber Elevate.

As viagens de eVTOL serão realizadas entre “skyports” distribuídos nas cidades (Uber)

O congestionamento é uma preocupação crescente para as cidades ao redor do mundo, e a Austrália não está imune. Problemas relacionados ao trânsito custam atualmente à Austrália US$ 16,5 bilhões por ano e aumentará para cerca de US$ 30 bilhões até 2030.


“A tecnologia da Uber está mudando a forma como as pessoas se movimentam em suas cidades – de bicicletas a passeios em grupo, estamos sempre procurando maneiras de reduzir a necessidade de propriedade de carros particulares. Nos próximos anos, com a Uber Air, queremos possibilitar que as pessoas apertem um botão e façam um voo”, disse Allison.

A Uber também anunciou parcerias o Aeroporto de Melbourne e as empresas australianas Macquarie, Telstra e Scentre Group. Segundo a companhia americana, o grupo (que envolve um banco de investimentos, uma rede de shoppings e uma operadora de celular) vai apoiar coletivamente a construção da infraestrutura e as telecomunicações necessárias para as operações do Uber Air na Austrália.

Veja mais: EmbraerX revela novo conceito de táxi aéreo urbano