(ATR)

A fabricante de aviões comerciais turbo-hélice ATR também deu seu show em Le Bourget. A empresa franco-italiana controlada pelos grupos Airbus e Leonardo recebeu 75 encomendas firmes por novas aeronaves na feira realizada na França nesta semana. O valor dos pedidos é de cerca de US$ 1,7 bilhão.

A empresa de leasing Nordic Aviation Capital (NAC) da Dinamarca foi o maior cliente nessa rodada de negócios e fez um pedido firme por 35 ATR 72-600, com opções para 35 e direitos de compra outros 35. “Este contrato de mais de 100 aeronaves garantirá que as companhias aéreas possam alugar e operar as mais modernas e ecológicas aeronaves regionais disponíveis no mercado”, disse o presidente da NAC, Martin Møller, em comunicado à imprensa. A companhia vai receber os aviões a partir de 2022.


O principal destaque da ATR no Paris Air Show foi o anúncio dos primeiros clientes para o modelo ATR 42-600S. O novo avião somou 10 pedidos firmes da empresa de leasing Elix Aviation Capital, da Irlanda, e mais duas unidades da companhia aérea Air Tahiti, da Polinésia Francesa. A fabricante também recebeu uma encomenda por cinco ATR 42-600S de um cliente não divulgado. As duas companhias vão receber as aeronaves entre 2022 e 2025.

O ATR 42-600S (S para STOL, sigla em inglês para “Pouso e Decolagem Curto”) é modificado para operar com capacidade máxima em pistas com apenas 800 metros de comprimento, enquanto o ATR 42-600 original exige aeródromos com mais de 1.000 metros. O avião tem capacidade para embarcar até 50 passageiros.

O ATR 42-600S decola com peso máximo de 18.600 kg (ATR)

A ATR aposta que o novo modelo pode operar em centenas de aeroportos pelo mundo que não são atendidos atualmente pela aviação comercia. No Brasil, o ATR 42-600S pode operar nos aeroportos do Guarujá, Ubatuba ou Angra dos Reis, citando apenas alguns exemplos. A fabricante estima que o mercado mundial vai exigir 800 aeronaves com essa capacidade nos próximos 30 anos.

A fabricante franco-italiana também anunciou uma encomenda de 22 modelos ATR 72-600 de um cliente não revelado e o pedido de um ATR 42-600 da companhia EasyJet, da Colômbia.

Veja mais: Grupo IAG pode comprar até 200 jatos Boeing 737 MAX