(Embraer)

De avião executivo você viaja para onde e quando quiser a qualquer momento(Embraer)

Poltronas super confortáveis que viram camas, acabamento com madeiras nobres, interior com ambientes separados… Itens de luxo são os primeiros atributos lembrados quando o assunto é aviação executiva, mas entre os usuários desse serviço a conversa vai muito além sobre a escolha de torneiras de ouro ou a qual será a cor do sofá na cabine privativa.

Aviões executivos não são adquiridos apenas para passeios luxuosos pelo mundo, ao menos não na grande maioria dos casos. Aeronaves dessa categoria são ferramentas de trabalho, sejam próprias ou fretadas, oferecendo maior agilidade em todas as etapas de uma viagem.



Apesar das questões econômicas não favoráveis, o mercado brasileiro é um dos paraísos da aviação comercial. Segundo a Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG), o Brasil conta com mais de 15 mil aeronaves particulares (incluindo helicópteros), o que representa a segunda maior frota do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Considerando apenas a aviação executiva, o país é o terceiro maior mercado global, com mais de 2.000 aeronaves em serviço (considerando apenas jatos e turbo-hélices privados e de táxi-aéreo).

De acordo com Philipe Figueiredo, diretor de vendas da Líder Aviação, uma das principais empresas nacionais de negociação e gerenciamento de aeronaves e serviços de fretamento, os benefícios da aviação executiva são baseados em quatro pilares: eficiência, flexibilidade, privacidade e, claro, o conforto.

Eficiência

Alguns jatos executivos podem voar a velocidades superiores às dos aviões comerciais (outros até próximos da velocidade do som). Mas é não é somente neste ponto que a aviação executiva vence a corrida contra as companhias aéreas. Quem viaja de jatinho não perde tempo com filas de check-in, espera por embarque ou despacho de malas.

Um jato executivo pode ser bem mais rápido que um avião comercial: o Gulfstream G650 pode voar a mais de 1.100 km/h (Gulfstream)

Um jato executivo pode ser bem mais rápido que um avião comercial: o Gulfstream G650 pode voar a mais de 1.100 km/h, próximo da velocidade do som (Gulfstream)

“Experimente marcar quantos minutos ou horas você perde aguardando embarque e desembarque em uma linha aérea comercial. De questões burocráticas à logística das bagagens, todo esse tempo pode ser convertido em produtividade e em negócios quando se utiliza a aviação executiva”, garante o diretor da Líder.

Aviões executivos também voam para aeroportos onde a aviação comercial nem passa perto. De acordo com a ABAG, as linhas aéreas comerciais atendem apenas 137 dos mais de 3.600 aeródromos brasileiros, enquanto a aviação executiva pode ir a qualquer aeroporto homologado.

“Em um país com dimensões continentais, saem na frente as empresas que podem contar com a agilidade e capilaridade que um avião particular proporciona”, ressalta Figueiredo.

Flexibilidade

Quem viaja de avião executivo também decide quando e para onde vai voar, podendo cumprir agendas que não seriam possíveis em aviões comerciais. “Você tem a possibilidade de estar em Florianópolis pela manhã, realizar reunião na hora do almoço em São Paulo e fechar um negócio em Fortaleza antes de o dia acabar”, exemplifica Figueiredo.

Já disponível no Brasil, o HondaJet pode voar de São Paulo até Recife sem escalas (Divulgação)

Já disponível no Brasil, o HondaJet pode voar de São Paulo até Recife sem escalas (Divulgação)

O diretor explica ainda que, ao voar em uma aeronave privada, tem-se total controle da agenda, o que significa poder decolar a qualquer momento. “Se houver alguma mudança de última hora nos planos, basta informar a alteração na rota ou o horário de embarque e a tripulação estará pronta para decolar quando o proprietário quiser”.

Privacidade

“Perseguidas” nos aeroportos e aviões comerciais, pessoas públicas e celebridades têm na aviação executivo um porto seguro onde podem se deslocar discretamente. Os embarques e desembarques de passageiros de aviões privados são realizados em terminais separados da aviação comercial e com setores exclusivos de processamento de bagagem e alfandega.

(Líder Aviação)

A aviação executiva é a melhor (e talvez a única) forma de voar sem chamar atenção (Líder Aviação)

“Nossos clientes podem descansar em nossas instalações e embarcar quando quiserem, com toda tranquilidade”, explica Philipe. A Líder tem atualmente 21 bases espalhadas pelo Brasil de onde pode voar para praticamente ponto do país.

Conforto

O luxo e o conforto na aviação executiva não servem apenas para impressionar. Como ferramenta de trabalho, o avião executivo permite a um executivo descansar durante sua apressada rotina ou mesmo continuar trabalhando, o que só é possível com os recursos oferecidos pela aviação executiva.

O Legacy 500 possui diversas opções de configuração de cabine, inclusive com sofá-cama (Embraer)

Viajar descansando com todo conforto ou continuar trabalhando? O que fazer neste voo? (Embraer)

“Conhecemos as todas as preferências dos clientes e não medimos esforços para que tudo esteja como eles esperam, da temperatura da cabine às preferências no momento do desembarque”, afirma Figueiredo. “Quem opta por um serviço de bordo, por exemplo, pode escolher o que deseja, sem cardápio fechado ou embalagens lacradas a vácuo. São pessoas que valorizam um ambiente em que possam relaxar, entreter-se ou mesmo continuar trabalhando durante a viagem”, completou.

Não só isso, um cliente da aviação executiva pode ter o avião dos seus senhos e equipá-lo como quiser, desde que possa os alguns ou muitos milhões de dólares que custam uma “ferramenta” desse tipo…

Veja mais: Após lenta gestação, HondaJet amplia presença na aviação executiva