Boeing 737-700 da Southwest (Devanmayer1/Wikimedia)

Recentemente, a companhia Emirates comemorou a entrega do centésimo Airbus A380, o maior avião de passageiros do mundo. É um feito e tanto para uma aeronave que tem pouco mais de 200 unidades em operação. Ou seja, a empresa aérea do Oriente Médio tem quase metade de toda a frota do aparelho, muito à frente do segundo lugar, da Singapore com 18 exemplares. Mas, afinal, quais companhias aéreas são as maiores usuárias dos principais jatos comerciais que voam atualmente? Airway fez esse levantamento exclusivo e mostra a seguir quem são elas.

Airbus A319: American Airlines (125)*


Ao assumir a companhia US Airways em 2013, a American Airlines herdou uma frota numerosa do A319, da Airbus. Até hoje, a empresa americana é o maior operador da versão com 125 aeronaves.

Airbus A320: China Eastern Airlines (179)

Quem diria que o principal concorrente do Boeing 737 tenha como maior cliente uma companhia aérea chinesa. A China Eastern Airlines possui nada menos que 179 unidades do birreator, quase 50 a mais que a Jetblue, a segunda maior usuária do modelo.

Airbus A320neo: Indigo (24)

A nova versão do A320 ainda está nos primeiros anos de entrega, mas a companhia indiana Indigo desponta por enquanto como sua maior cliente com 24 unidades na frota.

Airbus A321: American Airlines (219)

O maior membro da família A320 também tem como maior operadora a American Airlines. Mas aqui a US Airways é parte da resposta para uma frota numerosa de 219 unidades que inclui pedidos próprios do A321.

Airbus A330-200: Air China (30)

A frota do A330-200 anda em baixa no mundo, por isso hoje a companhia com a maior frota do widebody é a Air China com 30 aviões, um pouco acima da Turkish que tem 25 aviões.

Airbus A330-300: Turkish (37)

O A330-300 foi um avião popular no extremo leste da Ásia, mas hoje a companhia que mais o utiliza é a Turkish Airlines com 37 unidades.

Airbus A340-300: Lufthansa (13)

Se seus irmãos das versões -200, -500 e -600 viraram o realidade, o A340-300 ainda tem uma presença mais consistente em algumas companhias aéreas como a Lufthansa que tem 13 unidades operacionais.

Airbus A350-900: Qatar (24)

Companhia que lançou o A350-900 (e também o A350-1000), a Qatar mantém a maior frota do jato mais moderno da Airbus (24 aviões), mas com uma vantagem pequena em relação à Cathay Pacific, de Hong Kong (22).

Airbus A380: Emirates (102)

A frota de A380 da Emirates é de espantar: já são mais de uma centena de aviões, um número que espanta em qualquer widebody quanto mais o maior do mundo. E ela ainda deve crescer mais nos próximos anos.

Boeing 717-200: Delta (91)

Jato de carreira curta, o 717 surgiu num período de transição após a Boeing assumir a McDonnell Douglas e rebatizar a família MD-80/90. Até hoje, a Delta ainda opera um número significativo desse pequeno avião.

Boeing 737-300: Jet2 (16)

Versão que colocou o 737 na liderança de vendas entre jatos comerciais, o -300 hoje é mais usada como cargueiro, mas a companhia inglesa Jet2 ainda utiliza 16 em voos com passageiros.

Boeing 737-400: Swift Air (15)

A pouco conhecida companhia aérea americana Swift Air opera uma frota de 15 737-400 em voos charter ou VIP.

Boeing 737-500: UTAir (32)

A carreira do 737-500 ainda é significativa, quem diria, na Rússia. Versão menor da família 737 Classic, o modelo é usado pela companhia UTAir com 32 unidades na frota.

Boeing 737-700: Southwest (506)

Se a Emirates se destaca pelo grande número de A380, a americana low-cost Southwest impressiona pela frota de Boeing 737-700. São nada menos que 506 unidades operacionais. É surreal até para a aviação comercial dos EUA.

Boeing 737-800: Ryanair (430)

Ficou assustado com a Southwest? Pois a irlandesa Ryanair não ficou muito atrás. São 430 jatos 737-800 em sua frota que voa por toda a Europa. Para se ter uma ideia, a Gol, uma das maiores usuárias do jato, tem 91 aviões em serviço no Brasil.

Boeing 737-900: United (148)

Versão pouco vendida, a -900 é a maior de todas as versões do 737 por enquanto. Perderá o trono para o MAX 9 e mais tarde para o MAX 10. Nos EUA ele meio que assumiu parte da função do 757 na United, sua maior operadora, e na Delta (93 aviões).

Boeing 747-400: British Airways (36)

Se o gigante da Boeing anda em baixa na aviação, ao menos na British Airways o 747-400 ainda é considerado relevante. A companhia já afirmou que manterá parte dos 36 jatos em operação por um bom tempo.

Boeing 747-8: Lufthansa (19)

A versão mais avançada do 747 não teve boa aceitação no mercado de aviação. Apenas a Lufthansa parece ter encontrado uma boa função para ele a despeito de operar o A380 também.

Boeing 757-200: Delta (111)

Sucessor do Boeing 727-200, o 757 continua muito importante em algumas frotas americanas como a Delta e a United (56 aviões).

Boeing 767-300: Delta (58)

Outra aeronave muito versátil, o 767 ainda tem uma grande frota em operação, mas nada se compara aos quase 60 aviões da Delta.

Boeing 777-200: United (74)

O “triple seven” estreou pela United em 1995 e na versão -200 ainda é bastante importante na empresa.

Boeing 777-300: Emirates (134)

Nem precisamos dizer que na Emirates tudo é superlativo. Além do A380, seu outro avião é o 777-300 do qual tem nada menos que 134 unidades, mais que o dobro da Cathay, vice-líder.

Boeing 787-8: All Nippon Airways (36)

A japonesa ANA pagou seus pecados por ter sido a lançadora do 787 no mundo, mas detém a maior frota do jato avançado da Boeing com 36 aviões, pouco mais do que a Qatar.

Boeing 787-9: All Nippon Airways (28)

A versão maior do 787 também tem a ANA como maior cliente, mas com uma ligeira vantagem perante a Air Canada e United, que possuem 25 unidades.

Boeing MD-80: Delta (106)

O MD-80 e suas variantes permanecem relevantes no transporte aéreo dentro dos EUA, sobretudo na Delta que tem 106 unidades do MD-88.

Bombardier CRJ-100/200: Skywest (191)

Versão menor do jato regional canadense tem como sua maior cliente a Skywest, companhia regional americana que atende as empresas American, United, Delta e Alaskan.

Bombardier CRJ-700: Skywest (88)

Assim como o -200, também a versão -700 do CRJ é bastante usada pela Skywest, que tem quase 90 aviões na frota.

Bombardier CRJ-900: Endeavor (95)

A Endeavor é parceria da Delta e opera vários voos da regiongal Delta Connection onde o CRJ-900 é seu mais numeroso avião com 95 unidades.

Embraer E170: Republic (52)

Outra regional importantes nos EUA, a Republic presta serviços para a Delta, United e American. Ela é a maior operadora do Embraer 170, menor versão do jato brasileiro.

Embraer E175: Republic (121)

Lançadora do E175, a Republic utiliza 121 exemplares da aeronave, criada para explorar o limite permitido pela legislação americana em aviões regionais.

Embraer E190: JetBlue (60)

Companhia fundada por David Neeleman, a JetBlue é a maior cliente do E190 com 60 aviões.

Embraer E195: Azul (59)

Outra cria de Neeleman, a Azul é a única companhia brasileira a figurar nesta lista com 59 unidades do E195.

Embraer ERJ-145: ExpressJet (135)

A ExpressJet é o legado da antiga Continental Express, empresa que estreou o jato ERJ-145 da Embraer no mercado. Até hoje ela preserva a maior frota do modelo com 135 unidades.

Fokker 100: Alliance (22)

Famoso no Brasil, o Fokker 100 teve apenas 283 unidades fabricadas, porém, boa parte dela ainda voa mundo afora. Hoje o maior operador do jato holandês é a companhia australiana Alliance com 22 unidades. Ela oferece voos charters para empresas do setor de minas e energia da Austrália.

Fokker 100 da companhia australiana Alliance (Bidgee/Wikimedia)

* Entre parenteses, o número de aviões na frota. Foram considerados apenas jatos comerciais com ao menos 100 unidades ativas no transporte de passageiros (excluindo, portanto, cargueiros).