A Airbus planeja ter cinco Beluga XL em operação até 2022 (Airbus)

A Airbus planeja ter cinco unidades do Beluga XL em operação até 2022 (Airbus)

O novo cargueiro Airbus Beluga XL está quase pronto para voar. A fabricante revelou na sexta-feira (6) a primeira imagem da aeronave com os motores turbofan Rolls-Royce Trent 700 instalados (mesmo motor do jato comercial A330). De acordo com a Airbus, os primeiros testes de voo com o modelo serão iniciados durante o verão europeu, que começa em junho.

A aeronave vista na imagem ainda precisa receber os winglets, dispositivos aerodinâmicos que ficam nas pontas das asas, tarefa que precisa ser executada fora do hangar de construção. O prédio onde o Beluga XL é montado comporta duas aeronaves, porém é muito estreito para a instalação do componente. O cargueiro está sendo produzido na fábrica da Airbus em Toulouse, na França.



Baseado no jato comercial A330-200, o Beluga XL é projetado para transportar uma carga útil de até 53 toneladas. Essa capacidade é 12,7% superior a do Beluga atual, que por sua vez é baseado no antigo A300, o primeiro avião comercial desenvolvido pela Airbus na década de 1970.

Dois Beluga XL serão entregues à operadora de logística da Airbus, a ATI (Airbus Transport International), no próximo ano. Ao todo serão construídos cinco unidades do novo cargueiro até 2022.

Super-transportador

O programa Beluga XL foi lançado em novembro de 2014 para atender aos novos requisitos de transporte logístico da Airbus. O novo modelo tem seis metros a mais de comprimento, é um metro mais largo e capaz de transportar mais seis toneladas comparado ao Beluga ST, cargueiro baseado no A300 que vem sendo peça fundamental da cadeia de produção do grupo Airbus desde 1995.

O Beluga ST é operado pela Airbus desde 1995 (Airbus)

O Beluga ST é operado pela empresa de logística da Airbus desde 1995 (Airbus)

Um dos requisitos que o projeto do Beluga XL precisa atender é a capacidade de transportar as duas asas do A350 de um só vez, em vez de uma única seção, como acontece atualmente com o Beluga ST. A Airbus conta atualmente com cinco cargueiros desse tipo, que serão substituídos a partir de 2019 com a chegada do novo modelo.

Antes de transportar componentes de outros aviões com o Beluga ST, a Airbus cumpria essa mesma função com uma frota de Super Guppy, cargueiro quadrimotor turbo-hélice desenvolvido pela Boeing na década de 1960. Com o desenvolvimento de aeronaves com portes cada vez maiores, um cargueiro de maior capacidade foi necessário, situação que volta a se repetir com a exigência do Beluga XL.

O Boeing Super Guppy já foi peça fundamental na cadeia produtiva da Airbus (Michel Gilliand/Wikimedia)

O Boeing Super Guppy já foi peça fundamental na cadeia produtiva da Airbus (Michel Gilliand/Wikimedia)

Veja mais: Primeiro Beluga XL terá pintura com cara de baleia