A versão a disposição ainda é um protótipo. A série definitiva deve ganhar, por exemplo, trem de pouso retrátil

A versão a disposição ainda é um protótipo. A série definitiva deve ganhar, por exemplo, trem de pouso retrátil

O primeiro avião elétrico operacional já existe e voa, só falta iniciar sua produção. A Airbus anunciou nesta quinta-feira (30) que prepara os últimos planos para iniciar a produção do E-Fan na linha de montagem em Pau, no no sudeste da França.

O projeto, apresentado em 2014, pode levar dois ocupantes (piloto e co-piloto) e suas prestações podem servir na formação básica de novos pilotos em escolas preparatórias.


A motorização do E-Fan segue o mesmo conceito da utilizada em automóveis híbridos. O avião combina propulsão elétrica e a combustão (a querosene, no caso), que serve como um extensor de autonomia, gerando mais energia para as baterias enquanto o avião voa.

A força do E-fan vem de um par de uma nova espécie de turbinas, que são movidas somente por eletricidade. Cada uma gera 40 cv, o suficiente para levar o avião a velocidade máxima de 220 km/h. Já as baterias possuem energia para o voo de uma hora ou 3,5 horas se estiver se utilizar a recarga extra do motor a combustão.

O E-Fan é construído com materiais compostos, como fibra de carbono e alumínio especial, por isso é muito leve. Segundo a Airbus, a aeronave pesa apenas 550 kg (vazia).


Quando chegar ao mercado, o nome do avião mudará para E-Fan 2.0. A empresa, contudo, ainda não divulgou o preço da aeronave “verde”.