O A220-300: início de produção nos EUA (Airbus)

Assim como planejado pela Airbus há dois anos, a planta de Mobile, na estado do Alabama, iniciou a montagem do A220, menor jato da empresa.

A produção da aeronave nos EUA faz parte dos planos da fabricante europeia de reduzir as restrições do país a seus produtos. A unidade de Mobile já monta a família A320 há alguns anos, em complemento às demais linhas de montagem da Airbus.


O A220, no entanto, é um jato comercial canadense, criado pela Bombardier que o repassou para a Airbus no ano passado. A aeronave tem conseguido bons contratos de vendas nos últimos meses, mas motivou protestos da Boeing que considerou o A220 subsidiado pelo governo canadense. Por essa razão, a compra do jato pela Delta Air Lines acabou sendo discutida na Justiça dos EUA, com ganho de causa para a Bombardier.

Para evitar acusações de provocar desemprego nos EUA, a Airbus tem ampliado sua unidade no Alabama a fim de demonstrar que seus aviões também contribuem com o país. Apenas para produzir o A220, a fabricante afirma ter contratado 400 funcionários.

Apesar de ampliar a capacidade de produção do A220, Mobile terá uma participação pequena no total de entregas por enquanto. A expectativa é que a instalação monte de 40 a 50 aviões por ano.

A fábrica da Airbus em Mobile, no Alabama: ampliação (Airbus)

De olho em um A220 maior

Enquanto amplia a produção do A220, a Airbus teria sido sondada pela Air France sobre uma versão maior do jato. A companhia aérea acaba de fechar uma compra de 60 unidades do A220-300 para substituir o A318 e o A39 em sua frota, mas também deixou em aberto mais 60 pedidos no futuro. Segundo rumores na Europa, essa extensão poderia ser preenchida por um suposto A220-500, que ocuparia o lugar das primeiras versões do A320 hoje em operação na empresa.

Veja também: Aeromexico entre o E195-E2 e o A220 para renovar sua frota