A Airbus afirma ter investido ”muitos milhões de dólares” na criação do novo centro em Campinas (Rodrigo Ribeiro)

A Airbus afirma ter investido ”muitos milhões de dólares” na criação do novo centro em Campinas (Rodrigo Ribeiro)

A Airbus inaugurou nesta quinta-feira (8) o seu primeiro centro de treinamento de pilotos no Brasil e América do Sul, o Airbus Brazil Training Centre (ABTC). A nova instalação foi criada em parceria com a companhia aérea Azul e fica na sede da empresa, em Campinas (SP).

Os novos simuladores da Airbus, para treinamento de pilotos do jato A320, se somam aos equipamentos de simulação dos Embraer E-Jets e ATR e vão reduzir os custos da Azul com preparação e reciclagem de seus tripulantes. Para a linha aérea, no entanto, a questão financeira fica em segundo plano.



“Naturalmente que haverá uma economia no transporte e hospedagem dos nossos funcionários até simuladores de outros países. Mas, para a Azul, o maior ganho é na qualidade do treinamento, que se reflete em maior segurança”, afirmou Antonoado Alves, presidente da Azul. “A possibilidade de treinar um piloto sem tirá-lo do Brasil permite um melhor aproveitamento de nosso investimento.”. O ABTC tem capacidade para instruir até 600 tripulantes por ano.

Tanto a Azul quanto a Airbus não revelaram as cifras envolvidas para a criação da nova instalação nem como foi feita a divisão do investimento que custou ”muitos milhões de dólares”, segundo Fabrice Hamel, vice-presidente global dos centros de treinamentos da Airbus.

Na ocasião o executivo da Airbus reforçou a importância da parceria com a Azul e acenou até com a possibilidade de abrir centros de treinamento para os jatos A330 e A350 no Brasil – aparelhos que, de acordo com Hamel, estão em franco crescimento na região.

Com o novo centro, a Azul não precisa mais enviar seus pilotos para treinamentos no exterior (Rodrigo Ribeiro)

Com o novo centro, a Azul não precisa mais enviar seus pilotos para treinamentos no exterior (Rodrigo Ribeiro)

Concorrência em casa, frota multimarca

O presidente da Azul, porém, foi mais conservador nas suas projeções para ampliar a frota da Azul. A empresa mantém os pedidos firmes para o A320neo, que atualmente tem oito unidades sendo operadas pela empresa e receberão o reforço de mais três até o final do ano. “Isso não significa que iremos virar uma companhia aérea com frota única. Acreditamos no conceito de ter o avião certo para a rota certa, e iremos manter nossa composição de ATR, E-Jets e A320”, explicou. Antonoaldo Alves confirmou que há estudos para ampliar a malha da empresa, o que poderia incluir até uma rota para Nova York, mas reforçou que a companhia não abrirá nenhum novo trecho até abril de 2018.

Por não ter um volume elevado de jatos A320 na frota, a Azul irá ceder o centro de treinamento da Airbus para outras empresas – a primeira confirmada foi a Avianca, além da Smile Aviation, companhia chinesa de recrutamento de pilotos. Pilotos privados ou desempregados também poderão usar as instalações para renovar ou trocar suas certificações, que terão o mesmo peso dos documentos emitidos pelos outros 11 centros da Airbus espalhados por outros países.

Veja mais: Nova versão civil do Hercules completa primeiro voo