Os voos da ANA com o A380 começam a partir de 2019 entre o Japão e o Havaí (Airbus)

Os voos da ANA com o A380 começam a partir de 2019 entre o Japão e o Havaí (Airbus)

O primeiro A380 da companhia aérea All Nippon Airways (ANA), do Japão, saiu do hangar de montagem final da fábrica da Airbus em Toulouse, na França, no último sábado (25). Segundo a fabricante, a aeronave, já com o logotipo da ANA na cauda vertical, foi enviado para uma estação externa para conclusão estrutural, instalação dos motores e componentes do cockpit.

Faz tempo que o Airbus A380 não estreia com uma nova companhia aérea. Os clientes mais recentes do maior avião de passageiros do mundo são as companhias Asiana, Etihad e Qatar, que receberam suas primeiras aeronaves em 2014. A empresa japonesa planeja iniciar suas operações com o “Super Jumbo” a partir do início de 2019, com voos entre Tóquio e Honolulu, no Havaí.


No início deste ano, a ANA anunciou que seus A380 serão configurados com 520 assentos – 8 assentos na primeira classe, 56 na executiva e 456 na econômica. A encomenda da companhia japonesa compreende três jatos e cada um deles terá uma vistosa pintura com desenhos de tartarugas.

Os jatos da companhia japonesa ainda contarão com salas multi-propósito no primeiro andar da cabine. Como explicou a ANA, o espaço poderá ser usado para cuidar de crianças durante o voo ou para os passageiros trocarem de roupas. Todos os ocupantes que viajarem no A380 da empresa asiática ainda terão acesso a bares nos dois andares da aeronave.

A ANA será a 14° companhia aérea a receber o A380. Em março deste ano, o número de encomendas pela aeronave caiu 109 unidades, após a Vingin Atlantic cancelar seu pedido por seis unidades. Em pouco mais de 10 anos de operações, a Airbus já entregou 222 unidades do avião.

A ANA vai iniciar os voos com o A380 em 2019 na rota entre Tóquio e Honolulu, no Havaí (Divulgação)

A ANA será o 14° operador do Airbus A380 (Divulgação)

Outro nome que deve estrear ainda neste ano com o A380 é a HiFly, de Portugal. A empresa, contudo, não é uma companhia aérea de voos regulares, mas sim um prestador de voos fretados. Diferentemente da empresa japonesa, que comprou aviões novos, o grupo português vai voar com um modelo usado recém-retirado da frota da companhia Singapore Airlines.


Veja mais: Primeiro Airbus A380 executivo pode ser lançado em breve