O A330neo será operado pela Azul no Brasil a partir de (Airbus)

A Airbus tem cerca de 210 pedidos pelo A330neo; avião deve pintar no Brasil até o final de 2018, com a Azul e a TAP (Airbus)

O primeiro protótipo do novo Airbus A330neo decolou pela primeira vez na manhã desta quinta-feira (19), na fábrica da Airbus em Toulouse, na França. A aeronave voou ao redor do espaço aéreo da unidade de produção do grupo europeu por cerca de quatro horas e na parte final do ensaio, antes do pouso, ainda realizou um voo rasante próximo a pista. O modelo testado foi um A330-900, a maior versão do novo A330.

Como explicou a Airbus, o A330neo precisa somar 1.400 horas em voos de teste e certificação, sendo 1.100 horas com dois protótipos do A330-900 e mais 300 horas com um A330-800. A expectativa da fabricante é concluir o programa de homologação do primeiro modelo até a metade de 2018 e o segundo em 2019.



Para a Airbus, o voo inaugural do A330neo foi um alívio após uma série de atrasos. O programa original, lançado em 2014 no festival de Farnborough, previa que na data atual a aeronave já estaria próxima das primeiras entregas aos clientes. Esse objetivo, porém, deve ser alcançado somente a partir do segundo semestre de 2018.

O primeiro operador do A330neo será a companhia aérea TAP, de Portugal, que espera receber os primeiros jatos ainda no próximo ano. A empresa portuguesa encomendou 14 unidades do novo jato.

Outros nomes que também já confirmaram pedidos pela aeronave da Airbus são Iran Air, Delta Airlines e a brasileira Azul. Até o momento, o grupo europeu tem cerca de 210 encomendas pelo novo A330 de 11 clientes – o maior pedido é da AirAsia X, da Malásia, por 66 unidades.

O voo inaugural do A330neo foi realizado no espaço aéreo próximo a fábrica da Airbus, em Toulouse (Airbus)

O voo inaugural do A330neo foi realizado no espaço aéreo próximo a fábrica da Airbus, em Toulouse (Airbus)

Menor consumo, maior autonomia

Boa parte do atraso no primeiro voo do A330neo ocorreu pela demora na entrega dos primeiros motores da Rolls-Royce, que são a principal peça da nova aeronave da Airbus em sua promessa de economizar combustível.

Projetado com tecnologias de última geração, o novo motor turbofan do A330neo, o modelo Trent 7000, está entre os mais avançados do mundo, com índices mais baixos de consumo de combustível e emissão de ruídos. O propulsor está em desenvolvimento desde 2015.

A Airbus também acrescentou “Sharklets” nas pontas das asas do A330neo, dispositivo que diminui a resistência aerodinâmica da aeronave e assim também ajuda e reduzir o consumo de combustível. Outra mudança evidente no design do A330 é o tamanho das asas, com envergadura que passou de 60,3 metros para 64 m.

O A330neo já foi encomendado por 11 companhias aéreas e empresas de leasing de aeronaves (Airbus)

Avaliado em US$ 290 milhões, A330neo já foi encomendado por 11 companhias aéreas e empresas de leasing (Airbus)

Pela contas da fabricante, com a reunião desses novos componentes e modificações o A330neo é 14% mais eficiente no consumo de combustível (na medida por assento) que o modelo atual (hoje chamado de A330ceo). Isso permite ao novo jato voar por maiores distâncias gastando a mesma quantidade de querosene da série anterior.

De acordo com a Airbus, o menor “apetite” do A330neo por combustível permite ao avião aumentar sua autonomia em aproximadamente 750 km comparado ao desempenho do A330ceo. Números da fabricante apontam que o novo A330-900 poderá percorrer 12.130 km e o modelo A330-800 cerca de 13.900 km.

O A330neo é oferecido com o novo conceito de cabine "AirSpace" da Airbus (Airbus)

O A330neo é oferecido com o novo conceito de cabine “AirSpace” da Airbus (Airbus)

A capacidade de passageiros do A330neo muda pouco em relação ao da série atual. O modelo 900 (substituto do A330-300) é oferecido na configuração típica com 287 assentos em três ou duas classes, ou até 440 poltronas em cabine de alta densidade, opção raramente escolhida pelas companhias aéreas. Já o modelo A330-800 (substituto do A330-200) é projetado para transportar de 257 a 406 passageiros.

Veja mais: As estranhas patentes da Airbus